João Mércio Gomes
18/06/2017
18:48
Rio de Janeiro (RJ)

Depois dos protestos da torcida contra o Grêmio, na última quinta, o Fluminense quase deu a volta por cima no clássico contra o Flamengo. Mesmo cheio de desfalques, o time ficou muito próximo da vitória mas sofreu o empate aos 49 minutos da etapa final. O time que foi chamado de 'sem vergonha' há três dias orgulhou o treinador nesta tarde.

- Foi aquilo de sempre, jogadores mostraram que não é time sem vergonha, é um time de amor à camisa. Um time de luta, de briga. Mas saio daqui chateado. De repente hoje a noite vou tomar um vinho estragado, de raiva - brincou o treinador.


Abelão ainda reclamou da falta de fair-play da equipe adversária, que conseguiu o empate com um a mais em campo. Enquanto Richarlison pedia para voltar ao jogo após ser atendido pelos médicos, Trauco acertou chute de fora da área e tirou a vitória das mãos dos tricolores.

- Gosto amargo. Um empate por uma série de fatores. Fairplay passou longe. Richarlison tem seis pontos na cabeça. No momento em que jogou a bola pra fora. Na segunda bola, quando foi cortada pelo Léo, o Richarlison estaria disputando a segunda bola e o árbitro não deixou entrar. Estava muito bom. Num jogo desse tamanho, o árbitro se complicou. Eu não sei ver jogo, mas estava impedido no primeiro gol - reclamou Abel, antes de citar atitude do presidente Bandeira de Mello.

- Acabou o jogo e o presidente do Flamengo estava reclamando de acréscimos. É brincadeira.