Matheus Dantas
29/10/2017
20:25
Rio de Janeiro (RJ)

O Fluminense saiu vaiado de campo após o empate em 1 a 1 com o Bahia, neste domingo no Maracanã, mas o treinador Abel Braga não mostrou-se insatisfeito com a atuação da equipe. Na visão do técnico, o time dominou o jogo após sofre o gol aos dois minutos, mas lamentou os erros técnicos.

- Pela escalação deles estava claro que jogariam por uma bola, um erro, um contra-ataque... Dessa maneira aconteceu e sofremos o gol. Passamos cinco minutos complicados e começamos a rodar a bola. Tivemos o domínio e veio o gol (do Scarpa). O domínio estava tão grande que o Paulo (Carpegiani, técnico do Bahia) fez mudanças, tirou um meia e colocou um volante - disse Abelão.


Com 39 pontos, assim como o Bahia, o Fluminense segua ameaçado pela zona de rebaixamento. Até por isso, o treinador, na etapa final, lançou a equipe ao ataque na etapa final, com as entradas de Wellington Silva, Robinho e Maheus Alessandro. No entanto, Abel viu o time esbarrar na bem postada defesa rival.

- O Bahia é muito bom de jogo aéreo. Tivemos o domínio absoluto, mas erramos muito. Faltou sermos mais agudos. Continuamos na mesma situação. Nos colocamos nela. Não podemos reclamar do torcedor, nos apoiou muito e não saiu satisfeito como nós. O Bahia com mais um volante, não quis dar campo. Nós, ao contrário, colocamos jogadores atacante no lugar de meia.

Na quarta-feira, o Tricolor volta a campo para outra decisão, desta vez pela Copa Sul-Americana. Após perder por 1 a 0 no jogo de ida, a equipe de Abel Braga precisa vencer o Flamengo para avançar no torneio. O 1 a 0 a favor do Flu leva a decisão para os pênaltis, enquanto o empate favorece o adversário.

Assim, o elenco do Flu se reapresenta nesta segunda-feira, às 16h, no CT Pedro Antonio. Antes do treino, o goleiro Diego Cavalieri dará entrevista coletiva.

Confira outras respostas de Abel Braga após o empate do Fluminense:

Partida sem sustos após o gol sofrido

São dois jogos, contra o Flamengo e hoje (domingo), que nosso goleiro quase não fez defesas. Só fez uma sem grande dificuldade. Também não exigimos do goleiro adversário. O Bahia jogou para vencer, mas o empate não era ruim para eles e foi muito ruim para nós.

Dificuldade em virar partidas

Sair na frente é sempre bom. Dá uma tranquilidade grande. Ficou claro isso no jogo contra o Vasco. Tínhamos o controle absoluto até que veio o nosso erro e eles fizeram 1 a 0. O Vasco virou outra equipe. Não sei se é coincidência.

Fla-Flu pela Copa Sul-Americana

Vamos jogar contra uma equipe muito forte, que nós podemos reverter com qualquer vitória a partir do 2 a 1. Vou procurar colocar a melhor equipe. Agora não está 50%/50%. Eles estão com uma responsabilidade maior pela vantagem. Temos que procurar fazer um bom jogo.

Recuperação física do elenco com sequência de jogos decisivos

É difícil. Se você analisar, sem qualquer tipo de comprometimento real, jogador por jogador, você vai ver que tem jogador que deu uma queda pela sequência. Mas chega ali e todos dizem que estão bem para quarta-feira. Só a fisiologia, com os exames, diz quem vai arrebentar. É difícil por isso. Você fala com os caras e todos dizem que estão inteiros. Se eu não botar, vou botar quem? Tem posição que é complicado. Amanhã é gelo e regenerativo. Terça é musculação e você vai para o jogo sem treino. Adversário teve 24h a mais e muitas opções.