HOME - Flamengo x Boavista - Campeonato Carioca - Wallace (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)
João Matheus Ferreira
31/01/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Se o prestígio de Wallace com a torcida vai de mal a pior, o mesmo não se pode dizer com o técnico Muricy Ramalho. Após participar do lance que gerou o gol de empate do Boavista, na noite de sábado, no Giulite Coutinho, na estreia no Campeonato Carioca, o zagueiro foi vaiado e xingado pelos torcedores, algo não tão comum no futebol em início de temporada. O treinador, entretanto, elogiou o início de ano da dupla de zaga, formada por ele e por Juan.

- O que eu posso observar é que a dupla de zaga está muito bem. Hoje voltaram a jogar bem. Lance de linha de fundo não é culpa do zagueiro. É uma jogada de mérito do adversários. Os dois (Wallace e Juan) estão bem, foram bem contra o Galo e vêm bem no ano - disse, após o empate com o Boavista.

A relação complicada da torcida com Wallace começou ainda no ano passado, quando o zagueiro foi criticado por boa parte dos torcedores, principalmente após a queda de rendimento da equipe na parte final do Carioca. No sábado teve o estopim: foi xingado em coro depois do apito final. Internamente, no entanto, o zagueiro segue prestigiado. É um dos líderes do elenco, ao lado de Paulo Victor e Emerson Sheik, tem a braçadeira de capitão, e boa relação com os demais atletas, com a comissão técnica e coma a diretoria rubro-negra.


Ainda assim, a diretoria observa diariamente o mercado em busca de um zagueiro, objetivo que vem desde o fim do ano passado. Inicialmente, a ideia era contratar Henrique, que acabou indo para o Flumiense. Depois, houve consultas por Luciano Lollo, do Racing-ARG, e Alejandro Donati, do Rosario Central-ARG, mas a alta pedida - aliada à não empolgação de Muricy com os nomes - inviabilizou o negócio. O treinador quer um defensor com característica de velocidade. O uruguaio Hernán Menosse, do Once Caldas-COL, foi oferecido e a diretoria analisa, mas sem tanta empolgação.