Flavio Godinho - Flamengo (foto:Alexandre Loureiro)

Flavio Godinho (foto:Alexandre Loureiro)

LANCE!
22/09/2016
13:56
Rio de Janeiro (RJ)

Vice-presidente de futebol do Flamengo, Flávio Godinho foi conduzido coercitivamente até a sede da Polícia Federal no Rio para prestar depoimento na condição de testemunha, em uma medida que faz parte da 34ª fase da operação Lava-Jato, batizada de "Arquivo X". A informação inicial foi do colunista Lauro Jardim, de "O Globo".

A condução do dirigente para depor nada tem a ver com o Rubro-Negro. Godinho foi ouvido nesta quinta-feira porque as investigações giram em torno da empresa OSX, ligada ao empresário Eike Batista e da qual Godinho foi funcionário até o início de 2013.

O atual vice de futebol do Fla tinha um dos diretores da companhia, cuja sede foi alvo de mandados de busca e apreensão nesta quinta. Ex-CEO da OSX, Luiz Eduardo Carneiro acabou sendo preso pela manhã.

A passagem de Godinho na PF, segundo o LANCE! apurou, não demorou muito. Ele foi conduzido ao prédio que fica na Praça Mauá, , segundo o próprio dirigente, respondeu algumas perguntas "na condição de testemunha, acerca de fato relacionado a terceiros" e foi liberado. 

A posição do Flamengo é não comentar por ser "assunto de cunho pessoal" do vice de futebol do clube.

As investigações indicam que a OSX fechou um contrato de 922 milhões de dólares com a Petrobras através de pagamento de propina. O próprio Eike Batista já forneceu informações à Polícia Federal e por isso não foi alvo de mandados nesta quinta.