Paulo Victor busca evolução na cobrança de pênaltis (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Paulo Victor busca evolução na cobrança de pênaltis (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

João Matheus Ferreira
22/03/2016
13:01
Rio de Janeiro (RJ)

Em caso de empate, Flamengo e Atlético-PR decidem a vaga na final da Primeira Liga, nesta quarta-feira, às 21h30, em Juiz de Fora, nas penalidades. E, quando se fala nesse assunto, a pressão se vira imediatamente para os prováveis cobradores e, evidentemente, para goleiros. Titular do Flamengo, Paulo Victor mostrou sinceridade ao afirmar que não se considera um exímio pegador de pênalti. No entanto, o que não falta para ele é trabalho e estudo.

- Chegou a me incomodar um pouco em certo momento porque tomei uma sequência de quatro gols de pênalti, o que não é bom para goleiro de nível de Brasileirão. Procuro ver muito e estudar muito, mas não me considero um grande pegador de pênalti que faça a diferença para um clube, como o Victor (Atlético-MG), por exemplo. Mas trabalho sempre para fazer o melhor - disse.

Para o goleiro, o objetivo é sempre evoluir, seja qual for a idade. Ele usou até o exemplo do pedido de Muricy Ramalho para que ele treinasse mais a saída com os pés, algo bastante utilizado pelo Rubro-Negro nesta temporada em busca do controle de posse de bola. Segundo Paulo Victor, a evolução é sempre a meta.

- Nas minhas entrevistas falo que quando o goleiro para de evoluir, talvez com 33 anos, você vai me ver parando de jogar. Sou um cara confiante porque me cobro para isso. Não penso em bater falta ou pênalti. Mas, como o Muricy pediu, uso mais a o pé agora, algo que não usava tanto antes. Tenho que estar evoluindo sempre e o que o Muricy pedir vou trabalhar para crescer - explicou.

TREINO FECHADO E MISTÉRIO
​Assim como na véspera do clássico de domingo, contra o Fluminense, pelo Campeonato Carioca, o técnico Muricy Ramalho fechou praticamente todo o treino desta terça-feira e não deu indícios do time que começa a semifinal da Primeira Liga. A imprensa só foi liberada após 1h17 de atividade, quando os jogadores treinavam cobranças de pênalti. Ainda assim, a tendência é que o Flamengo viaje com força máxima. Assim, o time deve começar com Paulo Victor; Rodinei, Wallace, Juan e Jorge; Márcio Araújo; Willian Arão, Ederson, Marcelo Cirino e Emerson Sheik; Felipe Vizeu. O volante Cuéllar e o atacante Guerrero foram convocados para as seleções colombiana e peruana.