Estádio Luso Brasileiro é a casa da Portuguesa-RJ (Foto: Divulgação)

Estádio Luso-Brasileiro é a casa da Portuguesa-RJ (Foto: Divulgação)

Paulo Victor Reis
03/01/2017
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

O Flamengo iniciou ontem os trabalhos no Estádio Luso-Brasileiro, da Portuguesa da Ilha do Governador. O Rubro-Negro assumiu a gestão do estádio por três anos e, logo no primeiro dia útil, começou a troca do gramado. O campo sofreu com falta de manutenção em dezembro, ao término do Campeonato Brasileiro, e está “queimado”. A diretoria da Gávea promete entregar um “tapete” para os jogadores. No ano passado, muitos atletas de times visitantes reclamaram das condições do gramado em jogos contra o Botafogo.

O Flamengo trabalha com a ideia de concluir os trabalhos em cerca de 60 dias, para começar a utilizar o estádio em março. Em contato com o LANCE!, o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, disse que muitos trabalhos foram feitos logo no primeiro dia na Ilha.

– Está a todo vapor. Não temos tempo a perder – sentenciou.

Em breve, o Flamengo vai começar a montar as arquibancadas. A expectativa é que o estádio tenha capacidade ampliada para 20 mil pessoas. A sala de imprensa e os vestiários também devem receber melhorias. Além disso, o Rubro-Negro promete caracterizar o caldeirão com as cores do clube. Beneficiada, a Portuguesa está muito entusiasmada com os trabalhos do clube da Gávea no local.

INDEFINIÇÃO: Fla ainda estuda local de primeiras partidas

Como só deve poder contar com o Estádio Luso-Brasileiro em março e não tem uma definição no caso do Maracanã, o Flamengo ainda estuda onde vai mandar seus primeiros jogos neste ano. A diretoria rubro-negra não definiu a situação, por enquanto, mas entende que tem tempo suficiente para isso. Afinal, o time só vai a campo oficialmente no próximo dia 29, contra o Boavista, pelo Campeonato Carioca.

É provável que o Flamengo mande seus primeiros jogos no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, que já serviu como casa do time no ano passado. No entanto, isso ainda não está confirmado. A estrutura do Voltaço recebeu elogios do ex-técnico Muricy Ramalho, em 2016, mas não se mostrou uma boa alternativa em termos financeiros ao clube. Houve jogos com bilheteria reduzida e pouco interesse do público local.

PORTUGUESA NÃO DEVE IR À JUSTIÇA CONTRA O BOTAFOGO

A Portuguesa terá uma conversa com o Botafogo para tentar resolver o imbróglio envolvendo os dois clubes e o estádio Luso-Brasileiro. Confira abaixo uma conversa com o presidente da Lusa.

João Rêgo, presidente da Portuguesa

LANCE!: Após o imbróglio com o Botafogo, como estão as condições do gramado do estádio da Ilha do Governador?

JOÃO RÊGO: Está totalmente queimado. Estão trabalhando para recuperar o campo. Nós tínhamos um jogo no próximo dia 11 em casa, mas teremos de jogar em outro lugar por causa disso, por causa das condições do gramado.

LANCE!: Ainda há alguma estrutura do Botafogo sendo retirada do estádio da Portuguesa?

JOÃO RÊGO: A empreiteira está retirando o resto das arquibancadas. Elas já estão desmontadas e foram colocadas no chão. Estão apenas retirando este material para encerrar.

LANCE!: Recentemente, a Portuguesa da Ilha foi à delegacia para fazer um boletim de ocorrência contra o Botafogo. Afinal, vocês pretendem processar o Glorioso por causa deste desentendimento entre as partes e supostas alterações na estrutura do estádio?

JOÃO RÊGO: Vamos tentar conversar. Um dirigente do Botafogo ficou de vir para conversarmos. Ir à Justiça não interessa a ninguém.

LANCE!: Após a retirada da estrutura que foi montada pelo Botafogo, fica a dúvida para saber quando o estádio estará pronto para o Flamengo. É possível terminar as obras até março?

JOÃO RÊGO: Acredito que sim. No máximo (término das obras) até março. Hoje (ontem) já tem pessoal do Flamengo trabalhando lá na estrutura e no gramado.