icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
31/08/2015
19:12

A Procuradoria da Justiça Desportiva formalizou a denúncia contra Emerson Sheik e Pará, por infrações cometidas na partida contra o Vasco, pela Copa do Brasil. Enquadrado em ofensa, o atacante pode ser suspenso por até seis partidas e receber multa de até R$ 100 mil. Já o lateral-direito pode ser suspenso por até três partidas. O julgamento ainda não tem data para acontecer.

No clássico do último dia 27 de agosto, Sheik criticou a atuação do árbitro Wilton Pereira Sampaio no intervalo do jogo, afirmando que “Primeiro tem que arrumar esse juiz, que é uma m... É uma m...!”.

Pará foi enquadrado em infração ao artigo 250 do CBJD (“Praticar ato desleal ou hostil”) e pode ser punido com suspensão de um a três jogos.

No domingo, Sheik pediu desculpas públicas ao árbitro pelas ofensas.

– Sou um cara que fala o que penso, na maioria das vezes acho que estou certo, mas quando erro, não vejo problema nenhum em pedir desculpas. Liguei para o Wilton e pedi desculpas a ele, à família dele em meu nome, nome da minha família, porque foi algo que desagradou a todos. Também pedi desculpas para quem estava transmitindo o jogo, ao repórter Eric Faria, que foi à beira do campo me entrevistar e é isso. Isso partiu de mim, o Flamengo nada tem a ver com isso – afirmou.

- Tudo que tinha que falar sobre o assunto eu já falei. Agora está com o jurídico do clube - completou o atacante.

A Procuradoria do STJD citou casos de reincidência, como quando Sheik, então no Botafogo, disse que a CBF era “uma vergonha” (2014) e quando disparou contra o árbitro Péricles Bassols na partida entre Corinthians e Atlético-MG (2012).

A Procuradoria da Justiça Desportiva formalizou a denúncia contra Emerson Sheik e Pará, por infrações cometidas na partida contra o Vasco, pela Copa do Brasil. Enquadrado em ofensa, o atacante pode ser suspenso por até seis partidas e receber multa de até R$ 100 mil. Já o lateral-direito pode ser suspenso por até três partidas. O julgamento ainda não tem data para acontecer.

No clássico do último dia 27 de agosto, Sheik criticou a atuação do árbitro Wilton Pereira Sampaio no intervalo do jogo, afirmando que “Primeiro tem que arrumar esse juiz, que é uma m... É uma m...!”.

Pará foi enquadrado em infração ao artigo 250 do CBJD (“Praticar ato desleal ou hostil”) e pode ser punido com suspensão de um a três jogos.

No domingo, Sheik pediu desculpas públicas ao árbitro pelas ofensas.

– Sou um cara que fala o que penso, na maioria das vezes acho que estou certo, mas quando erro, não vejo problema nenhum em pedir desculpas. Liguei para o Wilton e pedi desculpas a ele, à família dele em meu nome, nome da minha família, porque foi algo que desagradou a todos. Também pedi desculpas para quem estava transmitindo o jogo, ao repórter Eric Faria, que foi à beira do campo me entrevistar e é isso. Isso partiu de mim, o Flamengo nada tem a ver com isso – afirmou.

- Tudo que tinha que falar sobre o assunto eu já falei. Agora está com o jurídico do clube - completou o atacante.

A Procuradoria do STJD citou casos de reincidência, como quando Sheik, então no Botafogo, disse que a CBF era “uma vergonha” (2014) e quando disparou contra o árbitro Péricles Bassols na partida entre Corinthians e Atlético-MG (2012).