Presidente do Flamengo - Bandeira de Mello

Clube e emissora não entraram em um acordo para a transmissão do Estadual (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

LANCE!
12/01/2017
09:00
Rio de Janeiro (RJ) 

Perto da estreia do Flamengo no Campeonato Carioca de 2017, o clube e a Globo não têm acordo para que a emissora possa transmitir os jogos do rubro-negro na competição. Presidente Bandeira de Mello quer que o Fla receba mais do que R$ 15 milhões, valor que será pago a Vasco, Flu e Botafogo. Para ele, clube dá mais audiência, logo, deve receber mais.

– Nossa avaliação é que devemos receber de acordo o tamanho do clube e a audiência proporcionada por ele – comentou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

Na entrevista coletiva desta quarta-feira, concedida no Ninho do Urubu, o presidente afirmou que só está defendendo o direito do rubro-negro e que se competição começasse neste fim de semana, para ver o Flamengo só no Estádio ou então teriam de ouvir o jogo no rádio.

- Esperamos que as negociações sejam concluídas da melhor maneira possível, mas temos que defender o direito do sócios e do torcedor. Se o campeonato começasse hoje, teriam de ir ao Maracanã, ou ouvir pelo rádio. Vamos torcer para chegar em um acordo - disse Bandeira de Mello.

Outra situação que segue indefinida, pelo menos até metade de fevereiro, é aonde o Flamengo irá mandar seus primeiros jogos de 2017. Sem o Maracanã, e com a Ilha pronta apenas no segundo mês do ano, presidente afirma que clube irá jogar fora do Rio de Janeiro.

- É bem possível que isso aconteça (estreia do Carioca em natal). O Flamengo quer ter duas casas, o Maracanã, se tudo der certo e a Ilha também, que vai ficar muito bonita e com condições excelentes com jogos para até 21 mil torcedores. No início, nenhum dos dois estarão à disposição. A Ilha só em fevereiro e o Maracanã só Deus sabe. Até lá iremos jogar fora do Rio. A estreia contra o Boavista deverá ser mesmo em Natal. E na primeira liga, contra o Grêmio, será em Brasília - finalizou.