icons.title signature.placeholder Pedro Barboza
icons.title signature.placeholder Pedro Barboza
30/08/2015
12:19

A saída do lateral-esquerdo Anderson Pico para o Dnipro, da Ucrânia, encabeça uma grande lista de jogadores contratados pela diretoria do Flamengo que não conseguiram mostrar a que vieram. Nos últimos dois anos, mais de 15 atletas deixaram a equipe por déficit de índice técnico, ou mesmo por não terem muitas oportunidades com os respectivos treinadores.


Lateral foi emprestado ao Dnipro, da Ucrânia (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Apenas nesta temporada, dos oito jogadores contratados a pedido do então técnico rubro-negro, Vanderlei Luxemburgo, quatro já deixaram a Gávea antes mesmo do fim do ano. Antes da saída do lateral-esquerdo para a Ucrânia, Thallyson, que não conseguiu se firmar, foi emprestado ao Fortaleza. O zagueiro Bressan retornou ao Grêmio, a pedido do time gaúcho, e o meia Arthur Maia, que teve poucas oportunidades, pediu para retornar ao Vitória e, assim, jogar no futebol japonês.

Por outro lado, o elenco Rubro-Negro teve algumas baixas importantes no sistema ofensivo, em 2015, com as saídas de Alecsandro e Eduardo da Silva. A dupla perdeu espaço com as contratações de Sheik e Guerrero.

Além destes, porém, outros jogadores pouco fizeram na passagem-relâmpago pela equipe. Entre 2013 e 2014, alguns nomes como Carlos Eduardo (uma das contratações mais contestadas até hoje), João Paulo, Diego Silva, Val, Bruninho, André Santos, Chicão, Elano, Feijão, Léo, Arthur, Lucas Mugni, Elton, Frickson Erazo não figuraram por mais que um ano. Destes, o argentino Mugni que teve o maior número de chances, mas também não caiu nas graças do torcedor, e acabou retornando para a Argentina. Muitos dos outros ainda pertencem ao Rubro-Negro, mas seguem emprestados, já que não estão mais nos planos da diretoria.

Das apostas feitas nos últimos anos, o atacante Paulinho foi o único que conseguiu galgar algum espaço. Destaque nos últimos anos, o jogador, porém, não vem conseguindo repetir as boas atuações nesta temporada, por conta de seguidas lesões. Recuperado e com um semblante mais tranquilo, voltou a ganhar chances com a chegada de Oswaldo de Oliveira.

A saída do lateral-esquerdo Anderson Pico para o Dnipro, da Ucrânia, encabeça uma grande lista de jogadores contratados pela diretoria do Flamengo que não conseguiram mostrar a que vieram. Nos últimos dois anos, mais de 15 atletas deixaram a equipe por déficit de índice técnico, ou mesmo por não terem muitas oportunidades com os respectivos treinadores.


Lateral foi emprestado ao Dnipro, da Ucrânia (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Apenas nesta temporada, dos oito jogadores contratados a pedido do então técnico rubro-negro, Vanderlei Luxemburgo, quatro já deixaram a Gávea antes mesmo do fim do ano. Antes da saída do lateral-esquerdo para a Ucrânia, Thallyson, que não conseguiu se firmar, foi emprestado ao Fortaleza. O zagueiro Bressan retornou ao Grêmio, a pedido do time gaúcho, e o meia Arthur Maia, que teve poucas oportunidades, pediu para retornar ao Vitória e, assim, jogar no futebol japonês.

Por outro lado, o elenco Rubro-Negro teve algumas baixas importantes no sistema ofensivo, em 2015, com as saídas de Alecsandro e Eduardo da Silva. A dupla perdeu espaço com as contratações de Sheik e Guerrero.

Além destes, porém, outros jogadores pouco fizeram na passagem-relâmpago pela equipe. Entre 2013 e 2014, alguns nomes como Carlos Eduardo (uma das contratações mais contestadas até hoje), João Paulo, Diego Silva, Val, Bruninho, André Santos, Chicão, Elano, Feijão, Léo, Arthur, Lucas Mugni, Elton, Frickson Erazo não figuraram por mais que um ano. Destes, o argentino Mugni que teve o maior número de chances, mas também não caiu nas graças do torcedor, e acabou retornando para a Argentina. Muitos dos outros ainda pertencem ao Rubro-Negro, mas seguem emprestados, já que não estão mais nos planos da diretoria.

Das apostas feitas nos últimos anos, o atacante Paulinho foi o único que conseguiu galgar algum espaço. Destaque nos últimos anos, o jogador, porém, não vem conseguindo repetir as boas atuações nesta temporada, por conta de seguidas lesões. Recuperado e com um semblante mais tranquilo, voltou a ganhar chances com a chegada de Oswaldo de Oliveira.