Flamengo x Goiás

Kayke e Alan Patrick marcaram dois gols cada (Foto: Fernando Soutello/AGIF)

Pedro Barboza
09/11/2015
10:45
Rio de Janeiro (RJ)

A pressão vinda das arquibancadas era bem grande, com uma torcida um tanto quanto divida, no Maracanã. Enquanto uns protestavam, outros tentavam dar um voto de confiança ao time de Oswaldo de Oliveira. Em campo, os jogadores parece que se fecharam para tentar dar uma resposta aos torcedores, com uma vitória que não vinha há mais de um mês.

Alan Patrick foi o primeiro a tentar colocar um ponto final no incômodo jejum neste Brasileirão. O meia, que sabia que estava devendo com o torcedor, foi um dos melhores em campo, mostrando determinação do início ao fim, correndo, dando bons passes. Já Pará, que também está no erro com os rubro-negros, até que tentou, mas não teve o mesmo desempenho do colega, mas não comprometeu o esquema contra o Goiás. Nem as intensas vaias e xingamentos atrapalharam o lateral, que fez o feijão com arroz nos 90 minutos.

Nem mesmo a falta de atenção nos minutos finais do primeiro tempo, fizeram com que o time se perdesse em campo, mostrando que o trio Sheik, Alan Patrick e Kayke está bastante afinado. Com eles iniciando as partidas, o Flamengo só perdeu uma em seis jogos. Que estrela. Dor que cabeça a mais para o treinador, já que o atacante Kayke substituiu muito bem o peruano Paolo Guerrero. O camisa 9, portanto, tem de se cuidar para não perder espaço e deixar de ser o grande ídolo.

De fato, se o Flamengo tivesse atuações como a de domingo, estaria brigando com força por uma vaga no G4. Agora é muito complicado sonhar, por conta do leite derramado nas últimas oito rodadas, mas é notório que o Rubro-Negro não é apenas aquilo que vinha demonstrando, nas sete serrotas. É preciso muito mais, mas há luz no fim do túnel...