Guerrero - Flamengo

Guerrero vem em declínio no Flamengo (Foto: Cleber Mendes/Lancepress!)

Patrick Monteiro
05/11/2015
10:00
Rio de Janeiro (RJ)

Dificuldades à parte, caso o treino de quarta-feira do Flamengo fosse um jogo do Brasileirão, Guerrero teria dobrado seu número de gols na competição. Isso mesmo! Na atividade, no Ninho do Urubu, o atacante marcou três vezes – mesma quantidade de tentos que o camisa 9 tem no principal certame do País. Como os treinamentos comandados pelo “professor” Oswaldo não contam na classificação, o Rubro-Negro segue estacionado no 11º lugar, somando 44 pontos, a nove do G4, com apenas uma vitória nas últimas oito partidas e acumulando quatro derrotas em sequência.

Mas seria o “homem do título mundial do Corinthians” um mero artilheiro de treinos? Não! Guerrero é muito mais do que três finalizações certeiras num “bate-bola” sério. Domina, lidera, chama a marcação dos adversários para si, posiciona os companheiros... (E chuta também). Porém, embora soe controverso, o ATACANTE que tenta empurrar a seleção peruana para o Mundial da Rússia, historicamente não tem como principal característica a artilharia pesada.

Dos cinco clubes que defendeu em 13 temporadas, foi no Bayern de Munique (temporada 2003/04) que o atleta de 31 anos obteve sua melhor média na carreira (0,84% - 21 gols em 25 jogos). Nos demais, inclusive no Alvinegro paulista, esteve longe das estatísticas dignas de Romário. Como por exemplo, em 2014: 16 gols em 45 partidas (0,35). Em suma, ao aficionado vale o recado: conte com a técnica e o poder de decisão do seu 9, nem sempre com a rede sendo balançada por ele.