Luciano Lollo, do Racing-ARG

Lollo foi um dos nomes pensados pela diretoria rubro-negra para a zaga (Foto: Divulgação)

João Matheus Ferreira
12/01/2016
11:21
Rio de Janeiro (RJ)

Que o Flamengo busca um zagueiro para reforçar o elenco não é novidade para ninguém. Dentre vários nomes pensados, um deles é o de Luciano Lollo, do Racing-ARG. Na segunda-feira, o meia Federico Mancuello, último reforço confirmado pelo Rubro-Negro, revelou que a diretoria perguntou a ele sobre o defensor, já que os dois jogaram juntos no Belgrano-ARG, entre 2011 e 2012. A resposta do meio-campista já estava na ponta da língua, como o próprio disse.

- A diretoria (do Flamengo) me pediu referências e eu disse que era quase um Passarella - disse Mancuello, à Fox Sports da Argentina, enquanto resolve as últimas pendências em Buenos Aires antes de retornar ao Rio, nesta quarta.


Apesar da boa indicação de Mancuello, a diretoria do Flamengo não está tão otimista em um desfecho favorável com o zagueiro argentino. Em consulta feita nas últimas semanas, a diretoria do Racing demonstrou que não vai abrir mão da multa rescisória do defensor, que é de três milhões de euros (cerca de R$ 15 milhões). O valor supera o que foi acordado com o Independiente-ARG por Mancuello (R$ 12 milhões). Assim, a cúpula de futebol segue no mercado.

Nesta terça-feira, o Olé, principal jornal esportivo da Argentina, publicou uma entrevista exclusiva com Luciano Lollo. Entre os assuntos abordados, o principal foi o interesse rubro-negro no atleta. Ele confirmou estar ciente da situação, mas, sem definir o futuro, lembrou a posição da diretoria do Racing.

- Meu desejo é de ficar, mas sabemos que se chegar alguma coisa, também existe a possibilidade de sair. Minha cabeça agora está aqui, por isso quero desfrutar e me preparar. Sabemos do interesse do Flamengo, mas se o clube (Racing) não se deu por satisfeito eu entendo - disse, em entrevista ao Olé.

Até agora, o Flamengo já acertou com oito jogadores para 2016: o goleiro Alex Muralha, o lateral-direito Rodinei, os zagueiros Juan e Antônio Carlos, os laterais-esquerdos Chiquinho e Arthur Henrique, o volante Willian Arão e o meia Federico Mancuello. Para encerrar este primeiro ciclo de contratações, a diretoria ainda busca a contratação de um zagueiro e de um volante. O chileno Marcelo Díaz segue em pauta, mas a diretoria tenta abaixar a pedida do Hamburgo-ALE. Inicialmente, foi pedido dois milhões de euros (R$ 10 milhões).