Brasileirão - Flamengo x Chapecoense (foto:Paulo Sergio/LANCE!Press)

Chapecoense abriu o placar em pênalti inexistente, mas também sofreu com erro de arbitragem (foto:Paulo Sergio/LANCE!Press)

Paulo Victor Reis
26/05/2016
00:09
Enviado a Volta Redonda (RJ)

O auxiliar técnico Jayme de Almeida acredita que os erros da arbitragem interferiram no empate entre Flamengo e Chapecoense, em 2 a 2, na noite desta quarta-feira, em Volta Redonda. O substituto de Muricy Ramalho lamentou a atuação de Diego Almeida Real (RS) e até admitiu que não viu o pênalti que deu o empate ao Rubro-Negro.

- Sinceramente, têm algumas coisas que não dá para entender. Não é dizer que a pessoa vem aqui para prejudicar, mas erra muito e acaba prejudicando a gente. A arbitragem interferiu no resultado da partida. Fomos lá, com bola parada. Não sei se foi pênalti, e acabamos empatando o jogo - analisou.


Jayme considera que o Flamengo está inseguro. O auxiliar espera que a equipe recupere a confiança com a volta das vitórias.

- O time está inseguro. Quando saiu o gol (primeiro), no banco, parecia que o jogo tinha acabado. Precisamos ter muita calma e sangue frio. Só assim conseguiremos sair dessa situação difícil. Vejo o Flamengo um pouco tenso, com medo de errar. Quando ganharmos, voltaremos a ter confiança - garantiu.

Chamado de 'burro' pela torcida rubro-negra ao substituir Felipe Vizeu, aos 15 minutos do segundo tempo, Jayme explicou a alteração e entendeu a bronca da galera.

- Vizeu correu e lutou, mas já vinha reclamando (de cansaço) desde o fim do primeiro tempo. Ele não jogava há um bom tempo. Às vezes, as pessoas chamam de burro, mas não sabem o que está acontecendo. Mas respeito a revolta da torcida, qualquer um que erra é chamado de burro. Faz parte - desabafou.