Brasileirão - Flamengo x Chapecoense

Flamengo permitiu conversa de torcedores com o elenco (Foto: Paulo Sergio/Lancepress!/AFP)

Rafael Bullara
27/05/2016
16:38
São Paulo

Horas depois do zagueiro César Martins ser ameaçado por "torcedores" ao lado da esposa e do filho de DOIS ANOS, o Flamengo permitiu que membros de organizadas entrassem no CT para uma conversa com elenco.

O papo, como revelou o lateral-direito Rodinei em entrevista coletiva, estava marcado há uma semana pela diretoria com o aval do presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello.

A conversa "produtiva" e "sem dedo na cara" teve a anuência de quem deveria proteger os atletas. Permitir que estes torcedores façam parte do dia a dia é expor ainda mais os jogadores. E de nada adianta soltar nota oficial repudiando a atitude se na prática há essa inversão de valor. Vale lembrar que um dos motivos para a saída de Wallace também foi ameaça.

O mesmo aconteceu do outro lado da Dutra. O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, "convocou" os organizados para uma conversa com o elenco. O mandatário máximo do Timão falou grosso depois da vitória sobre a Ponte Preta na linha de quem manda é ele. O mesmo deve ter esquecido que o CT Joaquim Grava usado para a conversa foi o palco do terror protagonizado por essas pessoas há pouco tempo.

Quem precisa proteger é o primeiro a abrir o portão do CT para quem se diz torcedor. É impossível achar isso algo normal.