icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/08/2015
21:19

O presidente Eduardo Bandeira de Mello ganhou nesta quarta-feira um forte aliado na eleição presidencial do fim deste ano. Humberto Motta, conselheiro de centro e nome influente da política do Flamengo, que inclusive já foi candidato à presidência, se encontrou com o atual mandatário e declarou seu apoio para ele. Ao LANCE!, Motta comentou sobre a sua decisão.

- Tive uma reunião hoje (quarta-feira) pela manhã com o Bandeira e o Maurício Gomes, e me comprometi a participar da campanha deles, apoiando a candidatura. E na eventualidade de ganharmos a eleição, eu me comprometeria a participar também da gestão, em posições que discutiríamos no futuro - afirmou Motta, que completou:

- Eu entendi que a minha posição foi tomada pela boa gestão feita nos últimos três anos. É um modelo de gestão que está funcionando, a situação da administração financeira está consolidada, teve um estudo hoje inclusive, no futebol tem sido feito avanços, e acho que é uma tradição do clube a reeleição, não vejo motivo em quebrar esta tradição nesta eleição.

Questionado sobre uma possibilidade de união de Eduardo Bandeira de Mello com Wallim Vasconcellos, dissidente azul que lançou a chapa Vencer, Vencer, Vencer, Humberto Motta revelou uma conversa que teve com os dois postulantes. Segundo o conselheiro, uma possível unificação da Chapa Azul faria com que o Flamengo apenas ganhasse.

- Seria muito bom uma união. Conversei com o Wallim e disse a ele, como falei também ao Bandeira. Para o Flamengo, isto seria o melhor. Os dois foram muito receptivos a esta ideia, o problema é encontrar como fazer esta união. Espero que se for possível unir, ótimo. A eleição sempre deixa sequelas e setores insatisfeitos, e quando você une a maioria do grupo na mesma direção, o clube só tem a ganhar - concluiu.

Também lançaram candidaturas na eleição do Flamengo os conselheiros Cacau Cotta, do União Rubro-Negra, e Lysias Itapicurú, do Flamengo Nova Geração.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello ganhou nesta quarta-feira um forte aliado na eleição presidencial do fim deste ano. Humberto Motta, conselheiro de centro e nome influente da política do Flamengo, que inclusive já foi candidato à presidência, se encontrou com o atual mandatário e declarou seu apoio para ele. Ao LANCE!, Motta comentou sobre a sua decisão.

- Tive uma reunião hoje (quarta-feira) pela manhã com o Bandeira e o Maurício Gomes, e me comprometi a participar da campanha deles, apoiando a candidatura. E na eventualidade de ganharmos a eleição, eu me comprometeria a participar também da gestão, em posições que discutiríamos no futuro - afirmou Motta, que completou:

- Eu entendi que a minha posição foi tomada pela boa gestão feita nos últimos três anos. É um modelo de gestão que está funcionando, a situação da administração financeira está consolidada, teve um estudo hoje inclusive, no futebol tem sido feito avanços, e acho que é uma tradição do clube a reeleição, não vejo motivo em quebrar esta tradição nesta eleição.

Questionado sobre uma possibilidade de união de Eduardo Bandeira de Mello com Wallim Vasconcellos, dissidente azul que lançou a chapa Vencer, Vencer, Vencer, Humberto Motta revelou uma conversa que teve com os dois postulantes. Segundo o conselheiro, uma possível unificação da Chapa Azul faria com que o Flamengo apenas ganhasse.

- Seria muito bom uma união. Conversei com o Wallim e disse a ele, como falei também ao Bandeira. Para o Flamengo, isto seria o melhor. Os dois foram muito receptivos a esta ideia, o problema é encontrar como fazer esta união. Espero que se for possível unir, ótimo. A eleição sempre deixa sequelas e setores insatisfeitos, e quando você une a maioria do grupo na mesma direção, o clube só tem a ganhar - concluiu.

Também lançaram candidaturas na eleição do Flamengo os conselheiros Cacau Cotta, do União Rubro-Negra, e Lysias Itapicurú, do Flamengo Nova Geração.