Giulite Coutinho pode ser a casa do Fla no Estadual (Foto:  Sandro Vox/America Rio)

Giulite Coutinho pode ser a casa do Fla no Estadual (Foto: Sandro Vox/America Rio)

João Matheus Ferreira e Paulo Victor Reis
12/01/2016
15:42
Rio de Janeiro (RJ) e Mangaratiba (RJ)

O Flamengo está perto de encontrar um lar para o Campeonato Carioca. Na segunda-feira, a diretoria iniciou conversas com o América para negociar a utilização do Giulite Coutinho, na Baixada Fluminense. Embora as conversas ainda estejam no início e não haja uma confirmação oficial, o estádio é a opção mais viável para o Rubro-Negro, que precisa decidir tudo até sexta-feira, dia da reunião do Conselho Arbitral da Ferj sobre o Estadual.

Pesa a favor do Giulite Coutinho a proximidade da capital. A distância entre o hotel onde a delegação se concentra, na Barra da Tijuca, para o estádio, é de 40 quilômetros (cerca de uma hora). Assim, a diretoria não precisa mexer na logística do elenco. Caso optasse pelo Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, ou Moacyrzão, em Macaé, teria que viajar e até passar a noite nas cidades. Para completar, para a torcida também é melhor: a estação de trem Edson Passos fica bem perto do estádio, que também é chamado por este nome.

O diretor executivo de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, confirmou as conversas com a diretoria do América, embora não tenha dado detalhes.

- Tem chance, sim - disse o dirigente, via mensagem por telefone.

Segundo o LANCE! apurou, o Giulite Coutinho tem laudo da PM para receber 10 mil torcedores. O público liberado pelo Corpo de Bombeiros é de pouco mais de 13 mil, mas para isso o América teria que instalar câmeras de seguranças no estádio, algo que está fora do orçamento do clube. Assim, o máximo permitido é de 10 mil. O diretor de futebol do América, Marco Antonio Teixeira, também confirmou as conversas, ainda iniciais, com o Fla.

- Estamos iniciando as tratativas. Como está no início, não tem nada formalizado, então prefiro dar mais detalhes só quando tiver algo concreto.

Vale lembrar, porém, que o Giulite Coutinho não pode receber clássicos. Assim, tanto o Flamengo quanto os outros grandes do Rio teriam de entrar em um acordo para definir a "casa" dos clássicos no Estadual, já que tanto o Maracanã quanto o Nilton Santos estão impossibilitados de receber jogos. O único estádio que pode sediar um clássico com torcidas divididas (50% para cada) é o Raulino de Oliveira. São Januário e Moacyrzão só com "90% a 10%".

CHANCES REMOTAS DE UTILIZAR O ÍTALO DEL CIMA
O Estádio Ítalo del Cima, em Campo Grande, também surgiu como opção para o Flamengo mandar seus jogos. No entanto, a estrutura precisa de uma grande reforma, com ajuda de empresas investidoras. Por isso, as chances do Rubro-Negro disputar jogos por lá, no início do Brasileiro, são remotas.

Para mandar jogos em Campo Grande, os responsáveis pelo estádio teriam de arranjar licenças que não costumam ser liberadas tão rapidamente. O tempo, aliás, é também um grande empecilho. O Flamengo estreia no Brasileirão no dia 15 de maio e precisa de uma definição em breve.

Se o projeto saísse do papel, o Botafogo também poderia se beneficiar, com uma casa temporária. Porém, o clube alvinegro admite que há muitas dificuldades para encontrar quem esteja disposto a financiar as obras.

O Ítalo del Cima tem capacidade para 22.500 pessoas. O LANCE! conversou com o vice-presidente de futebol do Campo Grande, João Ellis Neto. O dirigente se mostrou esperançoso, mas também adotou cautela quanto á possibilidade do Flamengo mandar jogos na Zona Oeste do Rio.

- Tomara que isso dê muito certo. Seria muito bom para o futebol do Rio de Janeiro. Há mais de um mês que estamos conversando sobre esta possibilidade. Não tenho a previsão correta de quando a obra ficaria pronta, mas pelo o que estão falando a Ideia é que esteja finalizada no dia 15 de maio, data da estreia do Flamengo no Brasileiro - explicou o dirigente.