Igor Siqueira
19/12/2016
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

Ainda que se fale em Conca e outros reforços de peso para o ano de retorno à Libertadores, a diretoria do Flamengo tem um espacinho reservado para as pratas da casa. A ideia é que nomes como o atacante Felipe Vizeu e os meias Matheus Sávio e Lucas Paquetá sejam mais aproveitados em 2017.

O trio, inclusive, tem sobre os ombros a “moral” de estar representando o Rubro-Negro na Seleção Brasileira que disputará o Sul-Americano Sub-20, no Equador, em janeiro.

– Vejo com muito otimismo. Como o Zé Ricardo foi treinador deles e os conhece muito bem, vai saber aproveitá-los da melhor forma possível. Não é a toa que estão na Seleção sub-20.  Eles todos têm proteção contratual. Sempre soubemos que teriam futuro. O Flamengo quer contar com eles e eles querem ajudar o Flamengo – disse o presidente do Fla, Eduardo Bandeira de Mello.

Em 2016, o integrante do trio mais aproveitado foi Felipe Vizeu. Segundo o Footstats, foram 26 partidas e oito gols pelo time de cima.

– Eu sei do valor que eu tenho, por ser prata da casa. Nós que subimos da base temos um carinho diferente, também pela torcida. Tivemos conversas, mas isso vai continuar quando eu voltar da Seleção – afirmou o atacante ao LANCE!.

O fator Zé Ricardo, que conhece tão bem os garotos, pode ser um facilitador para o crescimento da integração das pratas da casa.

– Com o Zé, este já foi ano de muito aprendizado – avaliou Sávio.

EX-CRAQUE APROVA ESPAÇO

Ex-ponta-esquerda do Flamengo, Júlio César Uri Gueller, que continua frequentando a Gávea e conhece os garotos que estão surgindo no clube, vê com ótimos olhos o fato de as categorias de base estarem voltando a terem relevância nos elencos principais dos clubes.

– Não vejo só o Flamengo não. Vejo o Brasil todo. O país tem que usar os meninos na situação que está. Existem vários craques surgindo. O Flamengo continua fazendo um trabalho fantástico. Estou levando muita fé. Tenho gostado de muitos jogadores – disse o ex-jogador, que enxerga a Seleção sub-20 como bom laboratório:

– Eu também joguei em Seleção de base. Tem que ter um apoio mesmo. Acho que este ano vamos botar uns dois, três lá em cima.

BATE-BOLA - FELIPE VIZEU - ATACANTE DO FLAMENGO

Qual análise que você faz da sua temporada como profissional?
Muitas coisas ótimas aconteceram este ano, individual e coletivamente. Estive até inscrito na Olimpíada e ganhei medalha. No Flamengo, muitas metas conseguimos atingir. Sabíamos que poderíamos ter algo a mais, mas acontece. É futebol.

O carinho que a torcida depositou em você te surpreendeu?
Eu já sabia que a Nação tinha esse calor. Eu já estava me preparando. Na Copinha tivemos um apoio grande, não só na final. A torcida é muito grande. Fiquei muito feliz, porque todo mundo me abraçou. Tenho que continuar com foco na Seleção e, voltando ao Flamengo, procurar ter um ano brilhante.

Qual a expectativa para o Sul-Americano e o período de preparação na Granja Comary?
Tenho que fazer um ótimo papel, estar preparado para que tudo ocorra bem, sermos campeões e termos vaga no Mundial. No clube, teremos grandes competições.

BATE-BOLA - MATHEUS SÁVIO - Meia do Flamengo

Como você reagiu à convocação ao Sul-Americano?
Foi uma honra a convocação. Estamos em final de temporada, exercemos bom trabalho no clube. Se não tivéssemos feito isso, não estaríamos aqui. Vamos em busca da classificação ao Mundial. Nem pensamos em férias. Já estávamos na expectativa da convocação. Aconteceu e agora é manter o trabalho.

Há três flamenguistas na Seleção. O quanto isso ajuda na preparação para o Sul-Americano?
Estamos jogando o ano todo junto, desde a base. Isso facilita. A preparação é boa também para entrosar o time todo. Queremos chegar totalmente preparados.

Qual efeito que o Sul-Americano pode ter no 2017 pelo Flamengo?
O Sul-Americano é fundamental. Se eu conseguir jogar bem, a Seleção se classificar e for campeã, voltamos em alto nível, porque trabalhamos bastante. Apesar de não estarmos na pré-temporada, estamos em competição difícil aqui.