RADAR / LANCE!
03/06/2016
13:51
Rio de Janeiro (RJ)

O triunfo que o Flamengo obteve sobre o Vitória, por 1 a 0, garantiu à atual equipe um de seus melhores números desde que o Brasileirão começou a ser disputado por pontos corridos.  Considerando as cinco primeiras rodadas da competição nacional, o Rubro-Negro só tem campanha inferior ao ano de 2008.

Atualmente, são três vitórias, um empate e uma derrota, além da quarta colocação na classificação. O LANCE! recorda como foram as arrancadas das edições anteriores do Brasileirão por pontos corridos.

2003 - ERA DOS PONTOS CORRIDOS COMEÇA PROMISSORA


Mesclando jogadores revelados na Gávea, como Julio Cesar, Athirson, Fábio Baiano e Jean, com nomes como Felipe, Zé Carlos e Fernando Baiano, o Flamengo teve uma largada promissora em seu início da "Era dos Pontos Corridos". Sob o comando de Nelsinho Baptista, o Rubro-Negro bateu o Bahia e goleou o Fluminense no Maracanã, arrancou empates com São Caetano e Corinthians fora de casa e teve um revés para o Santos em casa. A sequência da edição de 2003 trouve um caminho acidentado por goleadas sofridas, Oswaldo de Oliveira tornou-se o novo treinador e ajudou a equipe a terminar em oitavo lugar.

2004 - SECA DE VITÓRIAS MARCA INÍCIO DE COMPETIÇÃO

Mesmo chegando ao Brasileirão com a equipe campeã carioca dias antes, o Flamengo de Zinho, Felipe, Ibson e Jean teve uma largada para lá de frustrante. Sob o comando de Abel Braga, vieram três empates (contra Grêmio, Ponte Preta e São Caetano), derrota diante do Paraná e uma goleada sofrida para o Vitória. Veio um rodízio que trouxe o interino Andrade e nomes como Paulo César Gusmão e Ricardo Gomes, mas o Rubro-Negro teve uma campanha fraca: décimo-sétimo lugar, em uma competição com 24 participantes.

2005 - FLAMENGO ENTRE ALTOS E BAIXOS

Com um time renovado, que mesclou medalhões como Diego e Júnior Baiano com nomes como Renato, Fellype Gabriel e Obina, o Flamengo teve início bem oscilante. Sob o comando de Celso Roth, a equipe teve vitórias sobre Figueirense e Santos, perdeu para Internacional e São Caetano e empatou com o Cruzeiro. A equipe seguiu patinando, mas terminou o Brasileirão em décimo-quinto lugar, em competição com 22 participantes.


2006 - 'DIVISÃO DE FOCO' MANTÉM OSCILAÇÃO DO FLA

Dividindo as atenções com jogos da Copa do Brasil, o Flamengo tem um início oscilante pelo segundo ano seguido. Na mescla entre titulares como Léo Moura, Ronaldo Angelim, Diego Souza, Luizão e Obina com Ramirez e Peralta, o Rubro-Negro (à época com Waldemar Lemos) bate Juventude e Botafogo, cai para São Paulo e Internacional e fica na igualdade com o Fortaleza. Com Ney Franco, equipe acaba em décimo-primeiro lugar, mas com título da Copa do Brasil.

2007 - FRACO INÍCIO DO FLAMENGO

Sob o comando de Ney Franco, o começo de Brasileirão é para lá de decepcionante. À exceção de uma vitória sobre o Goiás, a equipe com Bruno, Juan, Renato Augusto e Souza fica no empate com Botafogo e Sport, patina contra o Palmeiras e sofre goleada para o Figueirense. Com a entrada de Joel Santana, a equipe entra em ascensão e termina o ano no terceiro lugar.

2008 - ARRANCADA FANTÁSTICA DO RUBRO-NEGRO

Tendo Caio Júnior à frente da equipe, o Flamengo tem um início para lá de promissor. Com a base dos anos anteriores e nomes como Kléberson e Diego Tardelli, há vitórias sobre Santos, Internacional, Fluminense e uma goleada sobre o Figueirense, além de um empate arrancado com o Grêmio fora de casa. Porém, a equipe oscila na reta final, e vê a vaga no G4 da Copa Libertadores escapar por um ponto.

2009 - CAMINHADA DO TÍTULO COMEÇA COM SUFOCO

A campanha do hexacampeonato do Flamengo foi pautada pela oscilação. Ainda sob o comando de Cuca, o Rubro-Negro com Emerson Sheik e Josiel alternou altos e baixos. Vieram derrotas para Cruzeiro e Sport, empate com o Avaí e triunfos sobre Santo André e Atlético-PR, este, um duelo que marcou a volta de Adriano, responsável ao lado de Petkovic por reger a equipe conduzida por Andrade ao título.

2010 - VAI AOS TRANCOS E BARRANCOS

Apesar de a base campeã brasileira estar reforçada por Vagner Love, o Flamengo patinou em seu início de Brasileirão. Dos cinco jogos, vieram empates contra São Paulo, Vitória e Grêmio, ao lado de um triunfo sobre o Grêmio Prudente e o revés no clássico diante do Fluminense. Após ter Rogério Lourenço nos primeiros jogos, o clube viu a aposta em Silas ser frustrada, e recorreu a Vanderlei Luxemburgo para não cair, se conformando com um décimo-quinto lugar.

2011 - QUE DEMORA PARA ENGRENAR...

Apesar das expectativas estarem depositadas na dupla Ronaldinho e Thiago Neves, e em nomes como Felipe, Willians Bottinelli, o Flamengo teve dificuldades para engrenar no início de Brasileirão. Após golear o Avaí na estreia, a equipe de Vanderlei Luxemburgo trouxe uma sequência de empates contra Bahia, Corinthians, Atlético-PR e Flamengo. Mas, aos poucos, o Rubro-Negro entrou nos eixos e terminou a competição nacional em quarto lugar.


2012 - INVICTO, MAS SOB DESCONFIANÇA


Com Joel Santana à frente da equipe, o Flamengo entra em fase de renovação, e aposta nos jovens Paulo Victor, Luiz Antônio e Diego Maurício, ao lado de remanescentes como Léo Moura e Renato Abreu. A receita traz uma dose razoável de otimismo no Brasileirão, com vitórias sobre Coritiba e Santos, e empates com Sport, Internacional e Ponte Preta, mas culmina em frustração: mesmo com a entrada de Dorival Júnior, a equipe encerra a competição em décimo-primeiro lugar.

2013 - A AMARGURA DA LANTERNA

A aposta na qualidade de André Santos e Elias, na velocidade de Rafinha e nos gols de Hernane Brocador demorou a funcionar no Brasileirão. À exceção de uma goleada sobre o Criciúma, o Rubro-Negro comandado por Jorginho empatou com Santos e Atlético-PR, sofreu derrotas para Ponte Preta e Náutico, a arrancou em último lugar na competição nacional. As dificuldades seguiram com Mano Menezes, e apenas com Jayme de Almeida a equipe conseguiu se safar da degola, por um ponto.

2014 - PREOCUPAÇÕES SEGUEM ASSOLANDO INÍCIO DO FLAMENGO

A frustração ditou o início do Brasileirão do Flamengo também no ano seguinte. Com Jayme de Almeida, a equipe de Wallace, Paulinho e Alecsandro só conseguiu uma vitória sobre o Palmeiras. De resto, foi um empate sobre o Goiás e derrotas para Corinthians, Fluminense e São Paulo. Após a passagem mal-sucedida de Ney Franco, Vanderlei Luxemburgo ajudou a equipe a se manter na décima colocação.

2015 - INÍCIO PARA LÁ DE DESASTROSO


O ano de 2015 marcou a pior campanha do Flamengo na Era dos Pontos Corridos até o momento. Com Vanderlei Luxemburgo e Cristóvão Borges, a equipe empatou como Sport e amargou uma série de derrotas: São Paulo, Avaí, Fluminense e Cruzeiro. A equipe com Pará, Canteros, Almir, Eduardo da Silva e Alecsandro seguiu instável com Cristóvão e, após uma arrancada promissora sob o comando de Oswaldo de Oliveira, conformou-se com o décimo-terceiro lugar no Brasileirão.