Cuéllar concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no Ninho (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Cuéllar concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no Ninho (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

João Matheus Ferreira
02/03/2016
17:04
Rio de Janeiro (RJ)

Muito elogiado pelo técnico Muricy Ramalho nos primeiros jogos com a camisa do Flamengo, o volante Cuéllar confessa que não esperava encontrar uma torcida tão presente nos estádios. Embora tenha jogado apenas três vezes, uma em cada cidade - Cariacica (ES), Brasília (DF) e Volta Redonda (RJ) -, o colombiano se assustou com o modo como os flamenguistas acompanham o time. Esse, aliás, é um dos motivos de ele estar tão feliz por jogar no clube.

- Já sabia que era um dos maiores clubes do mundo, mas me surpreendeu a acolhida que tivemos em todos os lugares que fomos jogar. É algo impressionante. Nunca vivi isso nem na Colômbia e estou vivendo agora. As coisas que estou vendo é uma das mais lindas que vi. Aqui é um sonho bonito. Espero persegui-lo e conseguir crescer cada vez mais - comentou o volante.

Outra razão para Cuéllar estar bastante satisfeito é o desempenho dele dentro de campo. Depois da estreia tímida contra o América-MG, o colombiano mostrou a que veio contra Fluminense e Resende. Tão logo virou titular. 

- Estou me sentindo muito cômodo graças aos meus companheiros. Estou muito feliz com essas primeiras partidas. Sei que não é fácil jogar em um clube grande, mas acho que comecei da melhor maneira possível e espero seguir bem para ajudar meus companheiros e também a instituição - explicou.


Nem tudo, porém, é motivo de comemoração. Na semana que vem, provavelmente no dia 8, ele será julgado pelo TJD-RJ por conta da expulsão no clássico contra o Fluminense, em Brasília, quando se envolveu em  uma confusão com o atacante tricolor Marcos Junior. Os dois foram denunciados pelo artigo 250: "empurrar acintosamente o companheiro ou adversário fora da disputa da jogada" e correm o risco de pegar suspensão de um a três jogos.