Flamengo x Boavista

Mancuello é festado após golaço (Foto: Paulo Sergio/Lancepress!)

LANCE!
13/04/2016
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

A volta de Mancuello e Alan Patrick ao time titular do Flamengo trouxe mais do que criatividade no meio campo. A dupla tem pés afiados em bolas paradas e surge como uma nova arma do técnico Muricy Ramalho. Na vitória de 3 a 0 sobre o Boavista, no último sábado, o meia argentino fez um golaço de falta e deu fim a um jejum.

O Rubro-Negro não marcava gols do gênero desde o dia 15 de novembro do ano passado, quando Luiz Antônio, que já deixou o clube, fez o gol da vitória sobre o Orlando City, em amistoso realizado no Maracanã. Desde então, os jogadores tentavam, sem sucesso, estufar o barbante em cobranças de falta.

Logo nos primeiros treinos pelo Flamengo, Mancuello assumiu o posto de cobrador oficial de faltas e escanteios. O gringo deixou dois golaços como cartões de visitas num dos primeiros treinos em que participou, na Gávea. Os lances chamaram muita a atenção e animaram os torcedores presentes na sede. Os rubro-negros mais entusiasmados chegaram a brincar, gritando “É o Pet, é o Pet, é o Pet”, em referência ao sérvio Dejan Petkovic. O gringo é um grande ídolo da torcida, que ficou imortalizado com lindos e decisivos gols de bola parada.

O gol contra o Boavista não foi o primeiro marcado por Mancuello em faltas na carreira. O gringo já costumava balançar a rede em bolas paradas quando defendia o Independiente, da Argentina.

– Tinha feito um gol parecido pelo Independiente contra o Belgrano. Mas isso foi circunstância de jogo. Treino para fazer sempre igual. Às vezes, acontece, mas outras não. O mais importante é que o time voltou a vencer. Isso faz com que tenhamos mais confiança. Esperamos chegar às semifinais – disse o argentino.

Mesmo que não tenha marcado gol de falta neste ano, Alan Patrick anda com o pé calibrado nos treinos. O camisa 19 voltou bem ao time titular e vem recebendo elogios do técnico Muricy Ramalho. Contra o Botafogo, ele fez um belo gol, em chute forte e indefensável próximo à linha da grande área adversária.