Cuellar em ação pelo Junior Barranquilla (Foto: Reprodução)

Cuéllar vestiu a camisa do Junior Barranquila no ano passado, mas pertence ao Deportivo Cali (Foto: Reprodução)

João Matheus Ferreira
20/01/2016
01:44
Rio de Janeiro (RJ)

Ao que tudo indica, a negociação do Flamengo com o volante Gustavo Cuéllar não deve se estender tanto quanto a com o meia Federico Mancuello. Na noite de terça-feira, a diretoria rubro-negra deixou bem encaminhado o acordo com o Deportivo Cali (COL), clube que detém os direitos econômicos do atleta, e a situação pode ter um desfecho ainda nesta quarta, caso não haja imprevistos. O colombiano, de 23 anos, deve assinar contrato de três ou quatro anos.

Pesou a favor da negociação o interesse de Cuéllar em jogar no Flamengo. Inicialmente, a diretoria colombiana pedia U$S 2 milhões (cerca de R$ 8 milhões), valor que os dirigentes rubro-negros acharam um pouco acima da realidade. Cuéllar, então, entrou na jogada, e fez lobby para que fosse feita a vontade do Rubro-Negro. O Cali cedeu e aceitou uma quantia inferior. A forma de pagamento também está em fase final de discussão, algo que pode ser sacramentado ainda nesta quarta. Depois, restariam apenas algumas trocas de documentos para que o atleta fique para viajar ao Brasil e assinar com o Fla.


Recentemente, o Cruzeiro tentou a contratação de Cuéllar, mas um imbróglio envolvendo o Junior Barranquilla, clube cujo volante estava emprestado desde 2014, e o próprio Deportivo Cali, fez com que o clube mineiro optasse por deixar a negociação. Foi aí que o Fla entrou oficialmente em cena, embora o atleta tenha sido oferecido na semana passada. O Junior tinha a prioridade na compra dele, mas também não entrou em acordo com o Cali e considerou melhor não exercer o direito, já que o próprio atleta quer deixar o país.


Considerado um jogador promissor, Cuéllar viveu sua grande fase no ano passado, quando estreou pela seleção colombiana no empate com o Peru, em setembro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018. O volante tem histórico de passagens pelas seleções de base colombiana e possui as características desejadas por Muricy: primeiro volante que tenha qualidade no passe e boa noção de posicionamento e marcação. O "número 1" da diretoria para a posição era o chileno Marcelo Díaz, que acertou com o Celta de Vigo (ESP).