HOME - Portuguesa-RJ x Flamengo - Campeonato Carioca - Guerrero (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Guerrero já marcou seis gols nesta temporada (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

LANCE!
15/03/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

O ano passado terminou de forma melancólica para o Flamengo. De um time que namorou com a vaga na Copa Libertadores e chegou até a sonhar, mesmo à distância, com o título brasileiro, terminar no meio da tabela foi um tanto quanto decepcionante. Assim que aquele Campeonato Brasileiro terminou, a diretoria resolveu encontrar os motivos para a falta de resultados, já que o clube não passou nem perto de ganhar algum título. Hoje, em três meses de temporada, já dá para perceber alguns resultados.

E isso quem fala é a grande referência do elenco: o atacante Paolo Guerrero. Embora tenha começado muito bem no ano passado, caiu veementemente de produção e ficou sem fazer gol desde agosto, algo que gerou críticas e até dúvidas sobre a milionária contratação dele. Aos poucos, em 2016, Guerrero mostra o quanto pode não apenas ser útil, mas conduzir o time às glórias. O próprio camisa 9 explica o motivo disso.

– Vejo um trabalho mais sério aqui dentro. Todos se preocupando, não só comissão técnica e jogadores. Tudo que há de melhor o Flamengo está dando para nós, atletas. O trabalho na academia e dentro do campo é muito profissional. Temos um elenco qualificado e precisamos estar na briga por títulos sempre. O objetivo é ser campeão do Carioca e da Primeira Liga, que são os dois campeonatos que estamos jogando – comentou.

O “trabalho mais sério” a que Guerrero se refere engloba, basicamente, três aspectos diferentes. O primeiro foi a aposta na contratação do técnico Muricy Ramalho, um perfil que a diretoria considerou ideal antes mesmo da eleição presidencial no ano passado para comandar a equipe nestas mudanças. Em seguida, avaliaram que os jogadores perderam muito no aspecto físico ano passado. Por isso, o clube investiu pesado na comissão técnica, com fisiologistas de ponta e uma nova teoria: o tratamento individualizado dos atletas. Por fim, o Ninho do Urubu foi reformado. Ainda não está pronto, mas bem melhor do que em 2015.

Nessa mudança no centro de treinamento foi criado o Centro de Excelência em Performance, elogiado por todos os jogadores constantemente. Guerrero aproveitou para ser mais um a elogiar.

– Os trabalhos físicos têm sido muito bons. Logo quando cheguei no Flamengo deixei de fazer muita coisa e perdi um pouco, mas estou voltando e quero melhorar ainda mais – comentou o atacante.

É com ele que o clube quer, enfim, trilhar o caminho dos títulos.