Apresentação do técnico Vinícius Eutrópio (Foto: Divulgação / Site Oficial do Figueirense)

Ida do Figueira para o Z4 custou caro a Eutrópio (Foto: Divulgação / Site Oficial do Figueirense)

RADAR / LANCE!
11/07/2016
10:55
Florianópolis (SC)

A ida do Figueirense para a zona de rebaixamento custou caro a Vinícius Eutrópio. Na manhã desta segunda-feira, dia seguinte à derrota por 2 a 1 para o Grêmio, em Porto Alegre, o treinador foi chamado pela diretoria para uma reunião em Florianópolis (a delegação retornou no fim da noite de ontem) e teve sua demissão anunciada.

- Ele estava num processo de avaliação que culminou com a derrota para o Grêmio. Tínhamos de fazer uma mudança e assim foi feito. Tivemos uma conversa tranquila com Vinicius. Falamos que os nossos anseios não estavam sendo atendidos e que nosso rendimento estava abaixo das expectativas. Lembrei ao Vinícius que ele não era o único culpado - disse Cleber Giglio, superintendente de futebol do Figueirense.


O nome mais cotado é o de Argel Fucks. Cleber Giglio - embora não tenha descartado os nomes de Hemerson Maria ou de Antonio Carlos Zago, especulados pela imprensa - o dirigente deu a entender que o  treinador que foi demitido pelo Internacional na noite deste do domingo é mesmo o sonho da diretoria.

- Argel é um nome, pois está no mercado e na nossa lista. Mas tem outros. Vou evitar de falar pois prefiro deixar tudo em sigilo. Já no caso do Argel, estou confirmando o interesse porque é muito recente o seu trabalho aqui no Figueirense, como ele saiu com as portas abertas. Não tem como evitar e esconder que é um dos candidatos - disse, completando que foi mera coincidência o fato de Argel ter sido demitido do Internacional no domingo à noite e, logo na segunda-feira, Eutrópio ter sido sacado do comando do Figueirense.

Por fim, Giglio disse que, no caso de não acertar com um treinador nas próximas horas, o time será comandado pelo interino Tuca Guimarães na partida desta quarta-feira, contra a Ponte Preta, pela Copa do Brasil.

Vinícius Eutrópio encerrou sua segunda passagem no Orlando Scarpelli com uma campanha oscilante. Em 30 partidas sob seu comando, o Figueirense obteve 12 vitórias, 10 empates e oito derrotas.

Eutrópio chegara ao clube no início do ano, visando fazer a equipe reagir no Campeonato Catarinense. Apesar de tirar o Figueira da zona de rebaixamento, o treinador não conseguiu que a equipe chegasse à conquista da competição.

No Brasileirão, o treinador foi pressionado desde a estreia, com o empate em 0 a 0 com a Ponte Preta. Sua saída marca um período no qual o Figueira não obteve vitórias fora de casa, dois empates e cinco derrotas.