Incidentes com sinalizadores no jogo República Tcheca x Croácia

Incidentes com o lançamento de  sinalizadores e brigas envolvendo torcedores croatas devem, no mínimo,  significar multa de R$ 578 mil para a federação do país. Turcos também serão julgados (Foto: PHILIPPE DESMAZES/AFP)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
18/06/2016
08:44
Paris (FRA)

A Uefa divulgou em seu site a abertura de processos disciplinares contra as federações da Croácia e da Turquia por causa dos incidentes protagonizados por alguns de seu torcedores nos jogos desta sexta-feira pela Eurocopa. Os dois casos serão julgados pela Comissão de Ética e Disciplina nesta segunda-feira.

Os distúrbios envolvendo os croatas ocorreram no Estádio Geoffroy Guichard, em Saint-Étienne, durante o empate com a República Tcheca por 2 a 2. As acusações são: uso de fogos de artifício; arremesso de objetos em campo; perturbação da ordem pública; e comportamento racista. 

Já a federação da Turquia responderá por problemas no jogo em que a seleção perdeu por 3 a 0 para a Espanha, em Nice: uso de fogos de artifício; arremesso de objetos; invasão de campo.

O jogo Croácia x República Tcheca foi o segundo caso de incidentes graves em estádios nesta Euro. O primeiro ocorreu na primeira rodada em Marselha, durante Rússia e Inglaterra. Na ocasião, o comitê puniu os russos com uma multa de 150 mil euros (R$ 578 mil) e definiu que novos incidentes dentro de estádios levariam a seleção a ser desqualificada da competição. Tudo indica que os croatas levarão a mesma punição. Já buscando uma atenuante, a federação croata informou que havia informado a Polícia e a Uefa da possibilidade de brigas de torcedores na partida, pedindo reforço na segurança.

O incidente ocorreu na reta final do segundo tempo, quando rojões foram lançados, acertando inclusive um funcionário do estádio. Em seguida, cerca de 20 baderneiros começaram uma briga com outros torcedores croatas que estavam criticando o lançamento dos rojões. A briga somente terminou com a chegada de mais policiais no setor. Durante a confusão, o jogo parou por alguns minutos.

Após a confusão, o treinador croata Ante Cacic e a federação repudiaram as ações dos hooligans. A imprensa croata disse que a violência provavelmente partiu de vândalos do Hadjuk Split, clube que é opositor à federação croata, contra torcedores do rival Dinamo Zagreb - que domina os principais cargos da federação. O motivo principal é uma postagem no Facebook do Split mostrando estratégias que poderiam ser usadas pelos torcedores no estádio e publicada duas horas antes da partida.

Este processo se juntará a um outro da Croácia, por causa de um torcedor que invadira o campo para abraçar o volante Modric durante a comemoração do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Turquia na estreia.

Caso turco

A Turquia deverá receber uma punição mais branda, pois não ocorreram brigas no estádio. O maior problema foi o uso de rojões e sinalizadores após o fim da partida contra os espanhóis. Sete turcos foram presos ainda no estádio.

Fora do Stade de Nice, turcos e espanhóis se enfrentaram em alguns pontos da cidade. A policia informou que 16 foram presos. Os casos de brigas fora de estádios não são considerados no julgamento do Comitê de Ética e Disciplina da Uefa.