David com o pai a caminho de Lyon. 7h de estrada desde Bordeaux

David com seu pai, Amilcar: sete horas de estrada para ver Portugal na Euro (Foto: Carlos Alberto Vieira)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
22/06/2016
09:49
Lyon (FRA)

A seleção de Portugal tem inúmeros torcedores dedicados. Um exemplo é o engenheiro de informática David Pereira. Ele tem 32 anos e é cadeirante. Filho de portugueses - Amílcar e Nazaré - nasceu na França, mora em Bordeaux. Mas assim como o goleiro Anthony (também nascido na França), não deixa de lado as suas raízes: é português autêntico. De fala mansa, torce pelo Benfica (na França é pelo PSG) e sempre que pode acompanha os jogos da seleção de Cristiano Ronaldo.

Nesta quarta-feira, mesmo com a limitação física, vestiu a sua camisa da seleção, enrolou a bandeira e, sempre com o pai ao seu lado,  pegou um ônibus de Bordeaux para Lyon, sete horas de estrada.

David entrara no sorteio da Euro para os ingressos. Não foi contemplado, mas mandou um e-mail para a federação portuguesa. Com o apoio da entidade, obteve bilhetes para os jogos de Portugal.

- Já rodamos a Europa e nesta Euro acompanhamos os dois primeiros jogos, em Saint-Étienne e Paris. Estamos a caminho da partida com a Hungria e, se Portugal seguir em frente, tenho vouchers para todos os jogos até a final. Também vi algumas partidas de outras seleções que jogaram em Bordeaux - disse David, que nasceu sem os movimentos das pernas e com alguma limitação de força nos braços. Por isso, em algumas poucas situações, é ajudado para alimentar-se.

David diz que adora o Brasil e tem como meta conhecer o país para ver jogos e  visitar alguns familiares que moram no Rio de Janeiro. Antenado, também comenta sobre a situação da Seleção Brasileira "vai melhorar" e sabe como anda  o treinador português Paulo Bento no Cruzeiro. Mas seus olhos brilham quando fala do futuro da seleção portuguesa, pois prevê que a atual categoria de base é acima da média.

- Esta geração atual é boa e vai melhorar ainda mais. O Sub-17 ganhou o Europeu e lá tem um atacante que será o nosso primeiro grande camisa 9,  José Gomes. Isso acabará com o principal  problema de Portugal: não ter um jogador de alto nível para atuar dentro da área - disse David, ainda mais feliz com o fato de Gomes ser jogador benfiquista.

- Ele e outro oito jogadores da seleção campeã. Antes, o Sporting formava a base. Agora o Benfica investiu nas categorias menores e nos CTs. Será o novo celeiro - disse, alfinetando o rival lisboeta.

Depois de sete horas dentro do ônibus que o levou para Lyon, David e o  pai Amilcar - que é da região de Coimbra e foi para a França trabalhar como madeireiro - desembarcaram em Lyon na torcida para CR7, Nuno & Cia conseguirem a vitória que manterá Portugal vivo na competição. Ou o jeito será esperar mais quatro anos (ou dois, já que tem a Copa da Rússia) e a chegada dos reforços da base para que a seleção volte a chegar longe na competições aos gritos de "Allez Portugal".