Eduardo Cillo*
11/07/2016
12:58
Rio de Janeiro (RJ)

A união vista na seleção de Portugal, aliada à postura de Cristiano Ronaldo pareceram essenciais para a equipe se superar na conquista da Euro-2016. Até era plausível esperar que a saída de sua estrela causasse um baque aos lusos, mas o fato de ver CR7 com a perna enfaixada ajudando do banco de reservas contribuiu para garantir a força do elenco.

Em vários momentos da campanha de Portugal, houve indícios de que no vestiário tinha um incentivo muito grande entre os jogadores. Cristiano Ronaldo surgiu como figura que aglutinou esta equipe.

Não é à toa que os jogadores quebraram o protocolo na premiação, dando a taça da Eurocopa para ele erguer.

Outro fator que também pode ter ajudado aos portugueses foi a chance de se sobressair sem CR7. Eles mesmos tiveram chance de mostrar que eram um time de verdade.

Em relação à França, a saída de Cristiano Ronaldo poderia afetar psicologicamente em uma possibilidade salto alto, por crer que o adversário ficaria mais abatido com a ausência de sua estrela. Porém, o rendimento francês comprovou o contrário, e a equipe atuou com seriedade.

*Eduardo Cillo é Especialista em Psicologia da Academia LANCE!