Judô

Judocas reunidos na cerimônia de apresentação da Seleção Olímpica brasileira  (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CBJ)

LANCE!
02/06/2016
16:53
Rio de Janeiro

O judô é o esporte que mais conquistou medalhas olímpicas para o Brasil na história dos Jogos Olímpicos. São 19 pódios em nove edições, sendo três ouros, três pratas e 13 bronzes. É também a única modalidade a conquistar medalhas em todas as edições dos Jogos Olímpicos desde Los Angeles, em 1984. Na tarde desta quinta-feira os 14 judocas que vão representar o Brasil nos Jogos do Rio-2016, foram apresentados no Aeroporto Santos Dumont.

Atleta da Equipe Furnas, o judoca Victor Penalber (categoria até 81 kg) é um dos que vai estrear em olimpíadas e não esconde a ansiedade:

- A gente tenta imaginar como vai ser, mas é impossível. Olimpíada é diferente de tudo - comentou o judoca, que em 2015 foi bronze no Mundial de Astana, no Cazaquistão.

- O que procuro fazer é conversar bastante com os mais experientes, como o Tiago Camilo, que já vai agora para sua quarta olimpíada. É importante e ajuda a gente a imaginar como vai ser o nosso dia lá no Parque Olímpico -, completou Penalber.

O time masculino brasileiro passou por um processo de renovação e terá quatro estreantes em Jogos. Além de Penalber, Charles Chibana, Alex Pombo e Rafael Buzacarini estão pela primeira vez em uma edição dos Jogos. No Rio, eles estarão ao lado dos medalhistas olímpicos Felipe Kitadai, Tiago Camilo e Rafael Silva.

Presidente da CBJ, Paulo Wanderley Teixeira ressaltou em seu discurso de abertura os esforços feitos pela entidade durante todo o ciclo olímpico para a preparação desta equipe.

- A CBJ se empenhou ao máximo, fez o máximo, ofereceu o máximo para a seleção brasileira. A eles, não foi tirado um centavo de recurso para treinos no Brasil e treinos internacionais, competições, aquisição de equipamentos. Tiveram, estão tendo e terão tudo que for necessário. Posso afirmar: essa será a nona olimpíada consecutiva que o judô brasileiro subirá ao pódio - disse Paulo Wanderley.

A equipe feminina, ao contrário da masculina, não sofreu mudanças e será a mesma de Londres: Sarah Menezes, Erika Miranda, Rafaela Silva, Mariana Silva, Maria Portela, Mayra Aguiar e Maria Suelen Altheman. É um time jovem, mas com muita experiência, já que todas elas têm, pelo menos, uma participação olímpica no currículo.

Ao lado de Mayra Aguiar, Sarah Menezes está a caminho de sua terceira participação em Jogos Olímpicos desde a estreia em Pequim, em 2008, com apenas 18 anos. Uma bagagem que, segundo a campeã olímpica, fará toda a diferença na hora de encarar o tatame olímpico do Rio.

- Auto-confiança é uma característica que eu tenho desde muito jovem. Acredito muito no amadurecimento do atleta. Essa experiência faz você mudar um pouco sua visão sobre a Olimpíada e você começa a tratá-la com mais naturalidade, como um torneio normal, mesmo sabendo da grandiosidade do evento - diz Sarah.

A comissão técnica da seleção foi representada no evento pelos técnicos Luiz Shinohara, Rosicleia Campos, Fulvio Miyata, Mario Tsutsui e Mario Sabino, além do médico Matheus Saito, do analista de desempenho, Leonardo Mataruna, e Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da CBJ.

Os próximos compromissos da seleção olímpica serão treinamentos de campo no Brasil e na Europa. A equipe masculina se reunirá em Pindamonhangaba de 12 a 17 de junho, enquanto a feminina fará treinamentos internacionais em Perpignan, na França, de 10 a 18 de junho.

No Rio, a competição acontecerá de 6 a 12 de agosto, na Arena Carioca 2, no Parque Olímpico da Barra.