Judoca - Victor Penalber (81kg)

Victor Penalber brigará por medalha no dia 9 de agosto (Foto: AFP/Vasily Maximov)

LANCE!
21/06/2016
15:53
Rio de Janeiro

Em fase de preparação para os Jogos Olímpicos Rio 2016, o judoca Victor Penalber, que faz parte da Equipe Furnas, falou sobre a expectativa por competir em casa e o sonho com medalha. Um dos 14 nomes convocados para a Seleção Brasileira, o carioca pediu que a torcida faça muito barulho durante a competição.

- É minha primeira Olimpíada. Acho que vai ser maravilhoso. Sempre gostei de lutar com torcida. Em 2012, na minha primeira grande conquista, ganhei o Grand Slam no Rio de Janeiro, competição que só fica abaixo dos Jogos Olímpicos e dos Mundiais. Tomara que a torcida faça bastante barulho quando eu estiver lutando, pois isso me ajuda muito. Estou com uma expectativa muito boa para a Olimpíada – disse Penalber nesta terça-feira (21/6) em bate-papo com fãs através do Facebook do Time Brasil.

O judoca, que compete na categoria até 81kg, vem de um período de treinos em Pindamonhangaba, em São Paulo, encerrado no último dia 16, e segue a preparação no Centro de Treinamentos do Time Brasil, no Rio de Janeiro. Ele destacou o trabalho que vem fazendo:

- Temos feito uma preparação diferente, especial, principalmente na questão da organização da minha vida, na parte nutricional, de treinamento. Os profissionais estão mais próximos da minha vida. Apesar de o judô ser um esporte individual, temos uma equipe muito grande trabalhando. Ninguém chega a lugar algum sozinho.

Penalber ressaltou a dificuldade que é o torneio olímpico e apontou os principais rivais dele na briga por medalhas.

- Meus principais adversários são os três últimos campeões mundiais: o francês Loïc Pietri (em 2013), o georgiano Avtandil Tchrikishvili (em 2014) e o japonês Takanori Nagase (em 2015). Tem bastante gente dura na categoria, praticamente todos os atletas têm chance de chegar à medalha. Por exemplo, o francês nem está entre os cabeças de chave e é um fortíssimo candidato.

Por conta do ranking, o Brasil vai ter cinco cabeças de chave nos Jogos do Rio, entre eles Penalber, que só enfrentará um dos oito primeiros do mundo a partir das quartas de final. O judoca enumerou os principais países no caminho brasileiro.

- O judô está muito forte internacionalmente e é até complicado destacar alguns países. Os mais tradicionais são Japão, França, Rússia, o leste europeu de forma geral, Geórgia, Cazaquistão, Mongólia. A cultura é muito forte na Ásia e no leste europeu. No último mundial, nas 14 categorias (sete no masculino e sete no feminino), o único país que conseguiu duas medalhas de ouro foi o Japão. O resto só conseguiu uma. Muito equilibrado.

Penalber, medalhista de bronze no Mundial disputado no ano passado em Astana, no Cazaquistão, entrará no tatame em busca de medalha olímpica no dia 9 de agosto.