Diego Hypolito foi ouro no salto na etapa de Cottbus (Alemanha), da Copa do Mundo de Ginástica Artística

Diego Hypólito comemora o ouro conquistado sábado, na prova do solo (Foto: Divulgação)

LANCE!
03/04/2016
16:07
Rio de Janeiro

A Seleção de Ginástica Artística Masculina fechou com saldo positivo a Copa do Mundo de Cottbus, na Alemanha, realizada na Lausitz Arena. No total, os brasileiros participaram de sete finais e conquistaram duas medalhas - um ouro no solo com Diego Hypolito - atleta da Equipe Furnas e da Seleção - e uma prata nas argolas com Henrique Flores, ambas no sábado. A competição foi encerrada neste domingo, com atletas do País em duas decisões.

Na final do salto, Diego Hypolito ficou na quinta colocação, com 14,583 pontos, e Ângelo Assumpção em oitavo, com 6,950. O campeão foi o ucraniano Oleg Verniaiev, com 15,233. Nas paralelas, Ângelo foi o oitavo, com 12,633. O ouro ficou com o alemão Marcel Nguyen, com 15,666.

Em depoimento numa rede social, Diego comemorou o resultado da sua participação nas duas etapas da Copa do Mundo deste ano. Na semana passada, em Doha, no Qatar, ele ficou com ouro no solo e a prata no salto.

- Consegui concluir duas etapas da Copa do Mundo feliz. Foram dois ouros e um bronze, estou muito satisfeito mas aqui só é o início da temporada e o objetivo é no sonho olímpico. Volto amanhã (segunda-feira) para o Brasil aonde treinarei com a seleção em São Bernardo do campo. Obrigado Deus por tudo! Nunca desista de seu sonho porque pessoas falam que você não pode. Lute, tenha fé e não ache que os obstáculos não irão aparecer, pois são eles que fazem sua vitória valer a pena! - escreveu o ginasta, que em Cottbus completou 62 etapas da Copa do Mundo na carreira.

Além de Ângelo e Diego, a equipe brasileira contou com Fellipe Arakawa e Henrique Flores. Com todos os brasileiros conquistando vagas em finais dessa competição de alto nível, um dos técnicos da equipe e chefe de delegação, Hilton Dichelli Júnior, fez uma avaliação positiva do desempenho do grupo.

- A nossa expectativa era de crescimento e da etapa de Doha para cá evoluímos nos treinamentos. Essa Copa do Mundo foi um grande desafio para os meninos, porque contou com mais ginastas, alguns deles bastante fortes. Os nossos atletas mais novos sentiram um pouco da pressão, mas esse aprendizado é importante. Os critérios para as notas foram rigorosos e, mesmo assim, eles conseguiram estar nas finais. A preparação do Brasil está cada vez melhor e vamos conquistar resultados ainda mais positivos, basta seguir trabalhando forte e acreditar - explicou o treinador.

Prata nas argolas, Henrique Flores ficou satisfeito com o resultado.

- Eu consegui corrigir alguns erros que tive na classificatória. Ainda temos alguns detalhes para melhorar para as próximas, mas fiquei contente pela medalha. Foi bom poder participar dessa competição - afirmou.