Apresentação de Mano Menezes no Cruzeiro

(Foto: Vinnicius Silva/Lancepress!)

RADAR/LANCE!
14/10/2016
17:24
Belo Horizonte (MG)

Nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro, além de conquistar bons resultados, o Cruzeiro saiu de campo sem sofrer gols, em sua melhor sequência na temporada.

Quem está feliz com o bom rendimento do time é o treinador Mano Menezes. Segundo o comandante cinco estrelas, os jogadores estão se comprometendo e se doando cada vez mais nas partidas, fatores que têm facilitado na busca de um maior equilíbrio. E é este o espírito que o técnico espera de sua equipe na partida contra a Chapecoense, neste domingo, às 17h, no Mineirão.

- O Cruzeiro está preparado para enfrentar a Chapecoense com o mesmo respeito que tivemos ano passado, lá, também em um momento em que precisávamos vencer. Felizmente, conseguimos. Eles têm competência e a campanha está mostrando isso. No futebol brasileiro não se ganha na véspera. Só se ganha a partir do momento em que o juiz apita e se tem mérito para construir uma vitória. Espero que tenhamos méritos para construí-la no domingo - garantiu Mano.

De acordo com o técnico, o fato do sistema defensivo não ter sido vazado nos últimos jogos é mérito de toda a equipe, que tem mostrado senso coletivo.

- Melhoramos como um todo. Havíamos tomado algumas decisões iniciais que surtiram efeito e produziram resultado. Depois, passamos quatro rodadas pontuando abaixo do necessário. O remédio teve que ser um pouco mais amargo, a dose teve que ser aumentada. Aumentamos a dose de comprometimento, de doação, e a equipe toda saiu ganhando neste processo. Não existe milagre. Muitas vezes, quando a equipe toma muitos gols, se dirige as atenções para a última linha da defesa ou para a dupla de zagueiros, e nós sabemos que essa é quase a consequência final de uma equipe que marca mal, dá muito espaço aos adversários ou se expõe muito até na tentativa de construir jogadas ofensivas - declarou.

- Entendemos mais este processo e o resultado é este que dá uma tranquilidade em saber que não será fácil sermos vazados e que o número de gols que precisamos fazer na frente será menor para conseguirmos uma vitória - concluiu.