Riascos - Cruzeiro

(Foto: Daniel Oliveira/Fotoarena/Lancepress!)

LANCE!
31/08/2016
16:57

O atacante Riascos venceu um round na queda de braço judicial com o Cruzeiro. Nesta terça-feira, a 27° Vara do Trabalho de Belo Horizonte concedeu uma liminar ao colombiano permitindo que ele se transfira para outro clube desde que pague uma multa de aproximadamente 3 milhões de reais até a próxima segunda-feira. 

Assim que o depósito cair na conta do Cruzeiro, o clube terá que liberá-lo em 24 horas. Caso ele se recuse a pagar o valor, poderá esperar o processo chegar ao fim (nova audiência está marcada para  o dia 02 de maio de 2017) ou tentar negociar com o Cruzeiro para ser liberado sem custos. 

Fabiano de Oliveira Costa, diretor jurídico do Cruzeiro, explicou a situação de Riascos.

 - O Riascos entrou com uma ação trabalhista contra o Cruzeiro para rescindir e em busca de uma indenização financeira. Depois de ter uma liminar negada, Riascos entrou com um mandado de segurança requerendo nova liminar. E o relator proferiu decisão com receio de que aja grande prejuízo ao jogador e permitiu que ele deposite em juízo um valor superior a R$ 3 milhões para que volte a jogar até a decisão final da ação- disse. 

Há tempo? 

De acordo com a imprensa turca, o Adanaspor, da segunda divisão local, está interessado no futebol do colombiano. O que pode melar a contratação, porém, é o tempo curto para que a contratação seja finalizada. A janela de transferências internacionais encerra-se às 23h59(hora local). 

Entenda o caso 

A polêmica envolvendo o atacante e o Cruzeiro começou no dia 17 de julho, após a derrota da Celeste para o Fluminense por 2 a 0, em Edson Passos, ele afirmou estar insatisfeito com a sua situação no clube. 

 - Não podem tirar minha felicidade para vir jogar aqui nesta m...-disse na ocasião. 

Tal declaração de Riascos fez com que o diretor de futebol, Thiago Scuro, anunciasse o afastamento do atacante. 

 -Diante dessa postura do Riascos, nós não aceitamos de forma alguma a participação de atletas com essa conduta e com esse posicionamento, e a partir de agora ele está fora da delegação do Cruzeiro e passa a ser um problema administrativo e jurídico- comentou.