Rafinha, novo reforço do Cruzeiro.

Divulgação

RADAR/LANCE! 
17/08/2016
17:07
Belo Horizonte(MG)

Há pouco menos de dois meses no Cruzeiro,  o meia Rafinha já notou a importância de Fábio para o time. Nesta quarta-feira, ele lamentou a contusão do arqueiro, capitão do time, que rompeu o ligamento do joelho direito e desfalcará a Raposa por oito meses, e pediu união ao grupo para que consiga contornar a sua ausência para o restante do ano. 

- Fábio é uma referência no clube, na cidade. Um jogador extremamente importante para o grupo. Infelizmente aconteceu essa lesão com ele. Pode acontecer com qualquer um. O grupo tem que se unir cada vez mais pra dar força pra ele. É um momento complicado na carreira do jogador. Mas ele é experiente, já passou por muitas coisas na vida e vai dar a volta por cima e voltar melhor ainda- opinou Rafinha. 

Quem seguiu a linha de raciocínio do camisa 70 foi o lateral-esquerdo Edimar, que também tem pouco tempo de casa e chegou poucos dias antes de Rafinha. 

 -Fábio tem um peso muito grande, é um capitão, jogador que tem uma grande história e nós respeitamos muito isso. Ele vai fazer falta na questão da liderança, de impor o respeito, sendo esse goleiro tão conhecido. Mas é claro que não podemos parar somente no Fábio, nosso caminho tem que ser seguido. Nós jogadores e todo grupo estamos torcendo por ele, pela recuperação, mas precisamos seguir nosso caminho- destacou. 

Substitutos 

A próxima partida do Cruzeiro é neste domingo, diante do Figueirense, no Orlando Scarpelli, às 18h30. O jovem Lucas França, de 20 anos, deve substitui-lo.

Apesar da pouca idade, substituir o jogador com mais aparições com a camisa cruzeirense(704) não será uma novidade. Ele atuou nas últimas duas partidas da Raposa. Diante do Corinthians, Fábio esteve suspenso.  Na partida seguinte, substituiu Fábio ainda no primeiro tempo, quando ele se machucou. Para o restante da temporada, porém, o goleiro deve ser Rafael, que se recupera de uma lesão. 

Além de ser titular absoluto, Fábio é o capitão cruzeirense. Nas duas partidas, quando esteve ausente, quem recebeu a braçadeira de capitão foi o volante Henrique. A escolha do treinador Mano Menezes pelo camisa 8 foi celebrada por Rafinha. 

-No jogo com o Corinthians, o Henrique já fez essa função, ele foi o capitão. Henrique é uma referência no grupo, ele é um cara que todos procuram se espelhar nele, por tudo que já fez para o clube. Nós jogadores temos que nos unir para ajudar o clube a sair dessa situação- defendeu Rafinha.