icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/08/2015
16:24

O Cruzeiro vive um momento delicado no Campeonato Brasileiro. Com três derrotas nos últimos quatro jogos, a Raposa é o primeiro time colocado fora da zona de rebaixamento e tem os mesmos 22 pontos de Coritiba e Goiás, que estão no Z4. A eliminação da Copa do Brasil para o Palmeiras aumentou ainda mais a pressão sobre o técnico Vanderlei Luxemburgo e o presidente Gilvan de Pinho Tavares.

O dirigente deu uma longa entrevista ao programa "Meio de Campo", da Rede Minas, que foi ao ar neste domingo, antes da derrota do time para o Santos. Gilvan abordou diversas pontos de seu mandato. Ao comentar as manifestações ofensivas por parte da torcida, marcadas no duelo contra o Palmeiras no Mineirão, na última quarta-feira, quando o presidente deixou o estádio antes do fim do jogo, Gilvan de Pinho Tavares se mostrou muito emocionado.

O presidente ainda deu um voto de confiança para o treinador Vanderlei Luxemburgo, garantindo sua permanência no clube. Para o presidente, as críticas frequentes e recorrentes sobre o desmanche feito pela diretoria do elenco que conquistou os últimos dois Campeonatos Brasileiros é um dos fatores que agrava a crise e piora a relação entre a torcida e a diretoria.

Confira abaixo alguns dos pontos principais da entrevista de Gilvan de Pinho Tavares à Rede Minas.

Permanência e rendimento de Vanderlei Luxemburgo

Muitos da imprensa queriam, falavam no nome do Luxemburgo e muita gente interna pedia sua contratação. Nós não podíamos, com a situação que vivíamos, arriscar com um treinador sem experiência. Não sei porque está ultrapassado. Eu acompanho o treinamento de treinadores há muitos anos. De todos os que trabalharam no Cruzeiro, o melhor é ele. Que mais trabalha é ele. Às vezes não é tempo de trabalho, mas é intensidade do trabalho. Acho que não é hora de trocar de treinador. 

Manifestações e ofensas da torcida no jogo contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil

Uma coisa que exijo é respeito. Teve um cafajeste que chegou lá, eu estava saindo do camarote com investidores, que podem ser os próximos patrocinadores master do Cruzeiro. Então, essas pessoas começaram a receber moeda em cima deles, notas, me chamando de ladrão. Esse tipo de desrespeito é um abuso. Muitas pessoas da imprensa estão levando os torcedores a reagirem desta forma. Eu vejo comentarista falando que tem que mandar dirigente embora, treinador embora, conselho deliberativo tem que reunir e tirar esse presidente. Isso é um absurdo. Estão começando a levar a coisa para o lado pessoal.

O que leva a uma situação dessa, de torcida tirar foto da minha casa e convocar torcedor para fazer arruaça, invadir a sede administrativa para tentar chegar ao presidente de qualquer forma. Eu não tenho medo, nunca tive medo, fui criado sem medo e vou morrer sem medo. 

Agora, fico com dó da minha esposa, porque ela se preocupa comigo. Uma coisa a torcida do Cruzeiro pode estar certa: no dia que acabar minha gestão, vou mostrar para a torcida do Cruzeiro a minha declaração de imposto de renda de quando entrei e quando saí. Não vou levar um centavo.

Risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro

Não. Acho que não é possível isso acontecer. Os jogadores que nós temos, o nível é muito bom. Precisa ter um encaixe melhor e isso está quase acontecendo.

Desmanche do elenco bicampeão brasileiro

Quem acusa a diretoria de ter feito desmanche é a imprensa. Mas a imprensa não raciocina o que de fato aconteceu. Os dois maiores nomes daquela equipe de 2013 e 2014 eram Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, e não tive como segurar esses jogadores. O Lucas Silva, para você ter ideia, o Cruzeiro não tinha nenhum interesse em vendê-lo porque só tinha 10%. O resto foi todo fatiado para pagar aquelas dívidas do tempo que ficou sem jogar no Mineirão e perdemos receita do Sócio do Futebol, bilheteria... Por isso que, quando assumimos, não tínhamos dinheiro nem para pagar salário de jogador.

O Cruzeiro vive um momento delicado no Campeonato Brasileiro. Com três derrotas nos últimos quatro jogos, a Raposa é o primeiro time colocado fora da zona de rebaixamento e tem os mesmos 22 pontos de Coritiba e Goiás, que estão no Z4. A eliminação da Copa do Brasil para o Palmeiras aumentou ainda mais a pressão sobre o técnico Vanderlei Luxemburgo e o presidente Gilvan de Pinho Tavares.

O dirigente deu uma longa entrevista ao programa "Meio de Campo", da Rede Minas, que foi ao ar neste domingo, antes da derrota do time para o Santos. Gilvan abordou diversas pontos de seu mandato. Ao comentar as manifestações ofensivas por parte da torcida, marcadas no duelo contra o Palmeiras no Mineirão, na última quarta-feira, quando o presidente deixou o estádio antes do fim do jogo, Gilvan de Pinho Tavares se mostrou muito emocionado.

O presidente ainda deu um voto de confiança para o treinador Vanderlei Luxemburgo, garantindo sua permanência no clube. Para o presidente, as críticas frequentes e recorrentes sobre o desmanche feito pela diretoria do elenco que conquistou os últimos dois Campeonatos Brasileiros é um dos fatores que agrava a crise e piora a relação entre a torcida e a diretoria.

Confira abaixo alguns dos pontos principais da entrevista de Gilvan de Pinho Tavares à Rede Minas.

Permanência e rendimento de Vanderlei Luxemburgo

Muitos da imprensa queriam, falavam no nome do Luxemburgo e muita gente interna pedia sua contratação. Nós não podíamos, com a situação que vivíamos, arriscar com um treinador sem experiência. Não sei porque está ultrapassado. Eu acompanho o treinamento de treinadores há muitos anos. De todos os que trabalharam no Cruzeiro, o melhor é ele. Que mais trabalha é ele. Às vezes não é tempo de trabalho, mas é intensidade do trabalho. Acho que não é hora de trocar de treinador. 

Manifestações e ofensas da torcida no jogo contra o Palmeiras, pela Copa do Brasil

Uma coisa que exijo é respeito. Teve um cafajeste que chegou lá, eu estava saindo do camarote com investidores, que podem ser os próximos patrocinadores master do Cruzeiro. Então, essas pessoas começaram a receber moeda em cima deles, notas, me chamando de ladrão. Esse tipo de desrespeito é um abuso. Muitas pessoas da imprensa estão levando os torcedores a reagirem desta forma. Eu vejo comentarista falando que tem que mandar dirigente embora, treinador embora, conselho deliberativo tem que reunir e tirar esse presidente. Isso é um absurdo. Estão começando a levar a coisa para o lado pessoal.

O que leva a uma situação dessa, de torcida tirar foto da minha casa e convocar torcedor para fazer arruaça, invadir a sede administrativa para tentar chegar ao presidente de qualquer forma. Eu não tenho medo, nunca tive medo, fui criado sem medo e vou morrer sem medo. 

Agora, fico com dó da minha esposa, porque ela se preocupa comigo. Uma coisa a torcida do Cruzeiro pode estar certa: no dia que acabar minha gestão, vou mostrar para a torcida do Cruzeiro a minha declaração de imposto de renda de quando entrei e quando saí. Não vou levar um centavo.

Risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro

Não. Acho que não é possível isso acontecer. Os jogadores que nós temos, o nível é muito bom. Precisa ter um encaixe melhor e isso está quase acontecendo.

Desmanche do elenco bicampeão brasileiro

Quem acusa a diretoria de ter feito desmanche é a imprensa. Mas a imprensa não raciocina o que de fato aconteceu. Os dois maiores nomes daquela equipe de 2013 e 2014 eram Ricardo Goulart e Everton Ribeiro, e não tive como segurar esses jogadores. O Lucas Silva, para você ter ideia, o Cruzeiro não tinha nenhum interesse em vendê-lo porque só tinha 10%. O resto foi todo fatiado para pagar aquelas dívidas do tempo que ficou sem jogar no Mineirão e perdemos receita do Sócio do Futebol, bilheteria... Por isso que, quando assumimos, não tínhamos dinheiro nem para pagar salário de jogador.