Paulo Bento

Paulo Bento foi apresentado nesta segunda-feira (Foto: Reprodução/Twitter)

RADAR/LANCE!
16/05/2016
16:29
Belo Horizonte (MG)

Esta segunda-feira foi marcada pela apresentação do técnico Paulo Bento no Cruzeiro. Na Toca II, o novo comandante falou à imprensa antes de comandar sua primeira atividade à frente da equipe celeste. 

Durante a coletiva de imprensa, o português, de 46 anos, afirmou que é um "desafio delicioso e motivante trabalhar no Cruzeiro". Além desta revelação, o treinador de Portugal na última Copa do Mundo disse esperar pressão, e que isto, inclusive, o motiva.

Confira um resumo da apresentação de Paulo Bento: 

Chegada

Queria agradecer ao clube e à direção pela oportunidade de ter a minha primeira experiência de trabalhar fora do meu país. E logo num clube de grande dimensão, um dos maiores do Brasil. Estou satisfeito, honrado por iniciar esta trajetória.

Por que ficou quase dois anos fora do mercado?

Foi uma opção pessoal. Normalmente os treinadores ficam um período sem trabalho e aproveitam isso para estudar, evoluir. Aí apareceu esta possibilidade e convite e entendi que deveria aceitar. Teremos um campeonato competitivo pela frente, mas confio que possamos fazer um trabalho.

O que poderá mudar no time?

Temos de nos adaptar ao que a equipe já tem e alterar algumas coisas que precisarem. Normalmente, o time tem jogado em dois sistemas táticos: no 4-3-2-1 ou 4-3-3. Depois de conversar com os jogadores, quero que eles assimilem nossas ideias.

Expectativa da inédita experiência

A expectativa é tentar fazer um bom trabalho para que a equipe evolua da melhor maneira. Se pudermos ajudar para o futebol brasileiro evoluir, ficaremos satisfeitos e motivados. Queremos construir uma equipe competitiva que possa lutar num campeonato extremamente difícil de disputar. Estamos numa fase em que o Brasileiro acabou de começar. Será um trabalho difícil, pois entro com o Nacional já em disputa. Mas é um desafio motivador. 

Cruzeiro como clube formador

O clube conhecido pela filosofia de revelar jovens. Mas talento e qualidade não têm idade. Agora, outras coisas ajudam, como maturidade, tranquilidade. Então, dentro daquilo que existe na equipe do Cruzeiro, é tentar tirar o que tem de melhor, independentemente de trabalhar com jogadores mais velhos ou mais jovens.

A maratona de jogos

São 38 rodadas em sete meses. Na Europa, as 38 rodadas ocorrem em dez meses. E aqui ainda tem Estadual e Copa do Brasil, com ida e volta. Esse ritmo de jogos nos obriga a trabalhar melhor estratégias e conceitos. Vou planejar para aproveitar da melhor forma a estrutura do clube.

Reforços

Vamos ver com o tempo. Em função do próprio calendário do futebol brasileiro, as equipes têm muitos jogadores. O Cruzeiro tem a vantagem de, na base, ter atletas com boa possibilidade de chegar à equipe principal. Então, em conjunto com os diretores, vamos ver as melhores decisões. Mas, primeiro, temos que analisar o grupo mais profundamente.

A facilidade da língua

É um desafio delicioso e motivante trabalhar no Cruzeiro. E creio que conhecer o idioma facilitará de alguma maneira na transmissão das minhas ideias e mensagens.

A pressão pelo resultado

Isso não me preocupa. Creio que a pressão há para todo lado. É natural que num clube da grandeza do Cruzeiro ocorra forte pressão forte. Mas não é algo novo para mim. O Sporting (de Lisboa, onde trabalhou por anos) é um dos grandes de Portugal e vivi pressão por lá. Na verdade é motivador, pois nos deixa mais concentrados. Se não tiver pressão, não é legal.