Mano Menezes - Cruzeiro (Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Lancepress!)

Mano confirma sondagem e não descarta saída para o futebol chinês  (Foto: Dudu Macedo/Fotoarena/Lancepress!)

RADAR/LANCE!
01/12/2015
02:02
São Paulo (SP)

Mano Menezes não vai embora do Cruzeiro. Ainda. Pelo menos, é isso que se pode depreender da entrevista do treinador no programa "Bem, Amigos", do Sportv, nesta segunda-feira (30). Mano confirmou que recebeu uma sondagem do Shandong Luneng, da China, mas negou que já tenha recebido uma proposta oficial do clube. Por isso, o técnico afirmou que não tem qualquer encontro marcado com a diretoria cruzeirense para definir o futuro. No entanto, revelou ter conversado com a direção sobre a procura dos asiáticos e preveniu o clube: vai ouvir a proposta, quando ela vier, e analisar a possibilidade de deixar a Toca da Raposa.

- Passei ontem (domingo, 29), depois do jogo, para a direção do Cruzeiro que tinha recebido uma sondagem. E que essa sondagem colocava a possibilidade de ser feita uma proposta oficial no começo da semana. Eu disse que ouviria a proposta. E, como eu sempre faço, disse que não ouviria a proposta enquanto o clube (Shandong Luneng) tivesse treinador. Essa foi a ordem dos fatos. Não acho correto eu ficar falando de sondagem, porque essa procura existe a todo momento para nós treinadores. Não acho legal, porque seria um desrespeito à torcida do Cruzeiro, que me acolheu maravilhosamente. Não tenho nenhuma reunião marcada com o Cruzeiro porque não existe nada objetivo. Não tem proposta oficial. Então, não tem conversa. - contou o treinador.


Com a possibilidade de saída em aberto, Mano Menezes colocou todos os pesos que atuam na balança entre permanecer e partir. E, aparentemente, o dinheiro e a estrutura atual do futebol brasileiro pesariam bastante para um possível adeus do técnico.

- O que se leva em consideração nesse momento são vários fatores. Não é só a parte econômica, mas também é, dependendo do quanto é. O futebol brasileiro está muito estranho. Há quatro meses eu estava sendo visto como quase um ex-técnico. Estavam me colocando como dinossauro. Eu estou só com 53 anos. Bastou eu sair daqui e fazer um curso e uma retomada de trabalho e parece que eu estou maravilhoso, que voltei a ser um técnico de ponta. As análises estão proporcionais à nossa segurança no cargo - finalizou Mano.