Rafael Sobis - Cruzeiro

(Foto: Daniel Oliveira/Lancepress!)

LANCE!
19/12/2016
17:06
Belo Horizonte(MG)  

A temporada de 2016 pode ter sido de altos e baixos para o atacante Rafael Sóbis, mas chegou a uma marca memorável. São três anos sem se machucar. E qual o segredo? O camisa 7 destacou que é importante 'conhecer o próprio corpo'. 

 -Já são três anos que não tenho lesão e isso é importante. O principal [para evitar problemas físicos] é conhecer o seu corpo. Saber das suas limitações, a hora de dormir, a hora de acordar. Sou um cara que me cuido muito em relação a isso. É questão de se conhecer, se cuidar e se preparar bem- comentou  Rafael Sóbis em entrevista ao site oficial do clube. 

 O atacante mostrou-se confiante numa temporada de 2017 de glórias para a equipe celeste.  Ele destacou que a permanência de Mano Menezes será crucial para um bom ano novo. Isso por que o treinador já conhece o grupo, o que faz  a Raposa largar na frente. 

 -A perspectiva sempre é a melhor possível. Conseguimos acabar o ano meio aos trancos e barrancos. Unimos forças e passamos por cima de muitas coisas. Neste resto de ano é descansar bem para, depois, fazer uma boa pré-temporada. Treinar é importante. No Brasil, a gente joga muito e tem pouco tempo para treinar. É questão de se preparar bem nas férias e voltar com tudo ano que vem- comentou

 -Para nós jogadores é importante saber quem vai comandar. Já conhecemos os métodos de trabalho do Mano. Vai ser ótimo, já o conhecemos e sabemos como ele gosta de trabalhar. Seguramente chegarão jogadores para ajudar e fortalecer o grupo. Espero que nossa campanha do segundo turno do Brasileiro a gente possa levar para o ano todo em 2017-completou. 

Por fim, Sóbis fez um balanço da sua temporada e dos seus seis meses no Cruzeiro.  Apesar de ter feito quatro gols e dado três assistências em 28 jogos, o que significa participação efetiva em gol a cada quatro jogos, o desfecho foi positivo. 

 -  Sem pré-temporada, consegui terminar o ano bem. Quando cheguei, o objetivo era o de sairmos de uma zona difícil, para depois pensarmos em coisas melhores ano que vem. Eu não posso pensar em mim, nos meus gols, ou querer escolher o melhor lugar para eu jogar dentro de campo. O Cruzeiro é muito maior e a necessidade era maior também. O momento era o de ajudar o time- comentou.