Gilvan de Pinho Tavares (foto:Divulgação)

Gilvan de Pinho Tavares: 'Precisamos demitir Bento antes que a casa caia' (foto:Divulgação)

RADAR / LANCE!
27/07/2016
14:35
Belo Horizonte (MG)

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, foi polêmico ao falar sobre as vaias que a equipe vem recebendo durante as partidas no Brasileirão. Durante a apresentação do novo treinador, Mano Menezes, o dirigente atribuiu as ofensas às organizadas, e fez um curioso apelo:

- Prefiro que a torcida xingue o presidente em vez de xingar o atleta. O presidente faz falta no estafe, mas dentro de campo quem rende é o jogador. Sobre a torcida do Cruzeiro, existe algo que está acontecendo entre organizadas. Com relação ao torcedor comum, o apoio é muito grande. Eu também sou torcedor do Cruzeiro e estou contrariado pelos resultados que não estão vindo.

Gilvan definiu a demissão de Paulo Bento como uma medida drástica diante da má fase da equipe. A Raposa amarga a penúltima colocação no Brasileirão:

- Sou uma pessoa otimista. Nunca vou chegar diante de vocês e falar que não acredito no trabalho do treinador. Fomos buscar um técnico vitorioso no Sporting e que treinou a Seleção Portuguesa. Portugal é um país formador de grandes treinadores. Tínhamos tudo para acreditar no trabalho dele, tanto que fizemos contrato longo. Mas, se o trabalho não surte o efeito, é preciso tomar providência. Precisamos tomar essa medida antes que a casa caia.

O empréstimo de Allano ao Bahia foi atribuído também à maneira como o atleta era mal recebido pelos torcedores, inclusive ao ser lançado por Bento:

- Ele não conseguiria continuar jogando no Cruzeiro mesmo com a boa vontade do treinador. Ele era vaiado antes de começar a partida. Quando entrou, as vaias aumentaram. Mesmo assim, o Allano entrou, teve comportamento digno e não se intimidou. Só que nessa situação ele não conseguiria jogar no Cruzeiro. Por outro clube, ele poderá desenvolver melhor seu futebol.