icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/08/2015
00:51

Além da eliminação da Copa do Brasil, a derrota do Cruzeiro para o Palmeiras por 3 a 2 no Mineirão ficará marcada pela saída antecipada do presidente da Raposa, que deixou o estádio quando a partida ainda estava na primeira etapa. Após o confronto, o diretor de comunicação do clube, Guilherme Mendes, explicou porque Gilvan de Pinho Tavares deixou o jogo mais cedo.

- Estou aqui para esclarecer algumas coisas, a pedido do presidente. Primeiro, ele explicou que deixou o estádio mais cedo pois sentiu que havia falta de segurança nos camarotes. Ele estava sendo ofendido e ameaçado pelas pessoas nos camarotes vizinhos e preferiu se retirar do local pela sua segurança - disse Guilherme Mendes em coletiva após o jogo.

Outra questão abordada pelo diretor de comunicação da Raposa foi a permanência de Vanderlei Luxemburgo. E ele foi categórico: o treinador segue no cargo.

- Sobre o Luxemburgo, o presidente pediu para eu dizer que o treinador está mantido. Não há pressão que vá tirar o Luxemburgo do Cruzeiro neste momento. Em resumo, é isso.

Além da eliminação da Copa do Brasil, a derrota do Cruzeiro para o Palmeiras por 3 a 2 no Mineirão ficará marcada pela saída antecipada do presidente da Raposa, que deixou o estádio quando a partida ainda estava na primeira etapa. Após o confronto, o diretor de comunicação do clube, Guilherme Mendes, explicou porque Gilvan de Pinho Tavares deixou o jogo mais cedo.

- Estou aqui para esclarecer algumas coisas, a pedido do presidente. Primeiro, ele explicou que deixou o estádio mais cedo pois sentiu que havia falta de segurança nos camarotes. Ele estava sendo ofendido e ameaçado pelas pessoas nos camarotes vizinhos e preferiu se retirar do local pela sua segurança - disse Guilherme Mendes em coletiva após o jogo.

Outra questão abordada pelo diretor de comunicação da Raposa foi a permanência de Vanderlei Luxemburgo. E ele foi categórico: o treinador segue no cargo.

- Sobre o Luxemburgo, o presidente pediu para eu dizer que o treinador está mantido. Não há pressão que vá tirar o Luxemburgo do Cruzeiro neste momento. Em resumo, é isso.