Rafael Silva, atacante do Cruzeiro (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Rafael Silva, atacante do Cruzeiro (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

RADAR/LANCE!
02/04/2016
14:27
Belo Horizonte (MG)

O caso envolvendo a injúria racial de Rafael Silva incomodou Deivid. Nessa sexta-feira (1), o treinador se pronunciou sobre a situação e demonstrou chateação com o episódio. Ele ainda reforçou que os torcedores devem ir ao estádio para motivar as suas respectivas equipes e não criticar e ofender os adversários.

– Eu conversei com ele. É chato... Ele fica chateado, porque tem mãe, tem pai, filhos... Eu condeno isso. Qualquer tipo de preconceito, de racismo, a gente tem que condenar. O futebol é um espetáculo. Você em que ir ao estádio e incentivar sua equipe. Acaba ficando muito chato o futebol – afirmou.

– Dez anos atrás, Marcelinho Carioca, Viola, Paulo Nunes, Edmundo e Romário faziam comemoração com dancinha, zoação e ninguém falava nada. Hoje, você não pode fazer nada. É um absurdo – acrescentou.

No clássico disputado no domingo passado, Rafael Silva marcou o gol da vitória sobre o Atlético-MG e, na comemoração, imitou uma galinha. O fato acarretou em ameaças e em uma injúria racial contra o jogador.

A assessoria de imprensa do Cruzeiro informou que dará todo o amparo jurídico necessário ao atleta caso ele tenha a intenção de denunciar os autores dos crimes. O jogador, porém, ainda não se posicionou sobre o episódio. O clube até ofereceu uma entrevista coletiva ao atacante, mas ele e seu estafe julgaram melhor não se pronunciar publicamente.