Gilvan de Pinho Tavares (foto:Divulgação)

Gilvan de Pinho Tavares (foto:Divulgação)

LANCE!
06/02/2016
18:40
Belo Horizonte (MG)

A nova política da diretoria do Cruzeiro para esta temporada fez com que o clube reduzisse em quase 40% a folha de pagamento. De acordo com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, a Raposa cortou R$ 3 milhões das despesas mensais.

A folha salarial do elenco do Cruzeiro, que chegava a mais de R$ 7 milhões por mês no ano passado, caiu para R$ 4,3 milhões nesta temporada.

- Nós já fizemos um cálculo e baixou bastante a folha de pagamento. Quase alcançamos o valor que a gente pretendia. Posso garantir que mais de 30% da folha já foi reduzida. Do valor que estava, baixou para R$ 4 milhões e pouco. Ultrapassava os R$ 7 milhões - revelou o mandatário celeste.

Vários jogadores deixaram o clube no fim de 2015 após o encerramento do contrato, como o atacante Dagoberto e o meia-atacante Júlio Baptista, que tinham altos salários. Além disso, o Cruzeiro adotou uma nova filosofia no clube em 2016 ao deixar de pagar parte dos salários dos jogadores que são emprestados a outras equipes. A partir de agora, os times que buscam atletas por empréstimo na Toca arcam com 100% dos vencimentos.

Em 2016, o Cruzeiro também deixa de gastar com rescisões de treinadores. No ano passado, com as demissões de Marcelo Oliveira e Vanderlei Luxemburgo, o clube celeste teve que pagar os dois treinadores.