Willians, do Corinthians

Willians atuou por 13 minutos na vitória do Corinthians por 2 a 1 nesta quarta-feira (Foto: Gabriel Carneiro)

Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
29/09/2016
01:18
São Paulo (SP)

Willians foi alvo de uma manifestação incomum de torcedores do Corinthians na noite desta quarta-feira, durante o jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, na Arena de Itaquera. O volante estava aquecendo na beirada do gramado quando foi chamado pelo técnico Fabio Carille mais ou menos aos 30 minutos do segundo tempo e foi imediatamente vaiado, especialmente pelos presentes no Setor Oeste do estádio. Os torcedores não desejavam a entrada de Willians, consumada apenas dois minutos depois, assim que o Timão sofreu o gol da vitória por 2 a 1 e diante de mais vaias. 

Após atuar por 13 minutos no duelo da Copa do Brasil, Willians demonstrou abatimento com as críticas em sua passagem pela zona mista da Arena Corinthians. Aos 30 anos, o jogador contratado pelo Timão no início do ano tem sido opção no banco de reservas, e disse que já esperava manifestações negativas por parte da torcida em razão de sua entrada contra o Cruzeiro.

- Eu fiquei um pouco chateado, porque vim para ajudar e quero ajudar logicamente, estou ali com a confiança do treinador e dos jogadores. Fiquei um pouquinho chateado sim, mas também não foi tanto assim... O treinador fez uma escolha antes do gol para segurar um pouco, mas acabando tomando o gol. Estou com a cabeça tranquila para ajudar o Corinthians. Mas eu já esperava, pior que eu já esperava, estava com a cabeça pensando se na hora que eu entrasse o que ia acontecer.... É torcedor, é apaixonado, a gente tem que respeitar, o importante é o jogador entrar bem - avaliou Willians, que seguiu falando:

- É desgastante para mim e para o treinador que acabou de começar, mas tenho 30 anos, já vivi muita coisa no futebol. Isso não desanima, só me dá mais força para trabalhar e mostrar meu potencial. Tenho 12 anos de futebol, não é à toa que estou no Corinthians. Espero ajudar. Essa manifestação só me dá mais força. Eu entrei e consegui jogar, fosse outro não ia conseguir jogar por causa disso. Eu tenho a mete boa para fazer meu trabalho.


Willians não ficou sozinho em seu discurso de crítica às vaias da torcida corintiana antes mesmo de sua entrada. Além do técnico Fabio Carille, o ex-jogador, ídolo e atual gerente de futebol do Corinthians, Alessandro Nunes, fez discurso forte sobre o assunto.

- O comportamento do nosso torcedor sempre foi um, e uma pequena parte da nossa torcida hoje está impaciente, abrindo mão de torcer até o último minuto. Estamos em quartas de final da Copa do Brasil, tivemos uma mudança absurda de elenco, estamos carentes do nosso torcedor. Esperava que a parceria fosse maior ainda, e não que viesse uma manifestação tão forte como essa da mudança do Willians. Foi uma escolha tática, pensando no resultado e não em prejudicar a equipe. Mas uma parte da nossa torcida está pouco compreensiva. Precisamos dela agora mais ainda - disse o dirigente.