Gabriel Carneiro
21/09/2016
10:59
São Paulo (SP)

Derrotado por 2 a 0 pelo Botafogo na noite desta terça-feira, o Corinthians foi vice-campeão brasileiro sub-20, mas terá pouco tempo para digerir o mau resultado, pois o time júnior entra em campo neste sábado, pela antepenúltima rodada do Campeonato Paulista da categoria, e já na próxima terça-feira, quando abre a disputa da Copa do Brasil sub-20 contra o Joinville, fora de casa. O calendário apertado, entretanto, é só mais um dos problemas que a base do Timão precisa lidar atualmente.

Logo após o vice do Brasileirão sub-20, o gerente técnico da base do Corinthians, Claudinei Muza, explicou detalhadamente o momento que vive a base do clube, que está prestes a romper a parceria de seis anos com o Flamengo de Guarulhos e sente falta de um elo com o time profissional, já que o coordenador técnico Alessandro Nunes, ex-lateral-direito campeão do mundo pelo Timão, acumulou a função de gerente de futebol e tem tido contato menos frequente com os profissionais da base.

Veja, em tópicos, os questionamentos atuais mais relevantes sobre a base do Corinthians:

PARCERIA COM O FLAMENGO DE GUARULHOS

Pedro Henrique, zagueiro do Corinthians
Pedro Henrique, hoje no profissional, chegou a disputar uma Copa São Paulo pelo Flamengo de Guarulhos (Foto: Daniel Augusto Jr)

Acordo de cessão de atletas pouco aproveitados no Timão ao clube da cidade vizinha para disputa de torneios será encerrada no fim da temporada, e a partir de 2017 cada clube toma seu próprio rumo. O Corinthians está viabilizando um novo local para alojar os meninos das categorias de base, de acordo com Muza.

- A parceria já estava um pouco desgastada, e o presidente achou por bem terminar agora no fim do ano. A previsão é de, no fim de novembro, encerrar a parceria. O Corinthians segue sua vida, e o Flamengo, a deles. Os jogadores vão ser realojados em um outro lugar próximo ao clube, reformado, com toda a parte de estrutura, como determina a lei. Previsão de no fim de novembro tudo estar pronto - disse o gerente da base.

ACÚMULO DE FUNÇÕES NAS CATEGORIAS DE BASE

Alessandro - Corinthians (foto:ALE VIANNA/Eleven/Lancepress!)
Alessandro é gerente do Timão (foto:ALE VIANNA/Eleven/Lancepress!)

Saída de Fábio Barrozo, gerente administrativo da base do Corinthians, em abril, fez com que as duas gerências (administrativa e técnica) ficassem concentradas nas mãos de Claudinei Muza - Barrozo deixou o clube pouco após um empresário americano ter alegado o pagamento de 110 mil dólares por benefícios jamais recebidos.

Outro acúmulo de funções recente da base corintiana ocorreu após a efetivação de Alessandro Nunes como gerente de futebol da equipe profissional, em substituição a Edu Gaspar, que foi com Tite para a Seleção Brasileira. Alessandro era bem próximo da base como coordenador técnico do Corinthians, e se afastou após a nova função.

- O Fábio (Barrozo) era um gerente administrativo e eu estava na área técnica. Continuo agora acumulando técnico e administrativo, não vejo dificuldades pra isso. O Alessandro sim fazia esse link entre profissional e base. Acho que isso aí seria uma função importante, tínhamos uma proximidade maior quando ele estava fazendo só esse cargo de coordenador. Não que deixamos de nos falar, mas ele acumulando funçõe  acaba ficando, assim, com ar de necessidade. Mas as coisas têm transcorrido normalmente, o momento da base é bom - disse Muza.

MUDANÇA NA DIREÇÃO GERAL DA BASE

Fausto Bittar Filho
Fausto Bittar Filho, novo diretor geral das categorias de base do Corinthians, no cargo desde agosto de 2016 (Foto: Reprodução)

Em agosto, o diretor geral da base do Corinthians, José Onofre de Souza Almeida, entregou sua carta de demissão à presidência do clube. O fato ocorreu poucos dias após um novo escândalo da base alvinegra, em que um garoto reprovado nas avaliações dos treinadores assinou contrato com o clube em razão da indicação de sua contratação ter sido feita por um conselheiro do clube. Logo após a saída de Onofre, Fausto Bittar Filho assumiu o comando da base.

- Eu acho que o Onofre acabou se desgastando. São questão políticas que eu procuro não me envolver. Eu fico muito mais centrado na parte técnica. Não podemos nos envolver nessas coisas políticas. O Onofre optou pela saída dele. O presidente optou pelo Fausto para assumir, que era uma pessoa que já tinha feito outros trabalhos em outros departamentos do clube. É uma pessoa aberta e estamos nos dando bem. Esperamos que as coisas sigam assim daqui para frente - elogia Muza.

NOVO CENTRO DE TREINAMENTOS DA BASE

Corinthians
Garotos já treinam no Parque Ecológico (Foto: Agência Corinthians)

O Corinthians já começou a utilizar o novo CT, que fica no mesmo terreno dos local de treino do time profissional, no Parque Ecológico do Tietê. O local, porém, dispõe apenas de gramado, e o restante da estrutura ainda não está pronto. Claudinei Muza explicou os detalhes para que o local seja, enfim, apresentado ao torcedor.

- Não temos a estrutura pronta ainda, mas os campos estão prontas. E pela proximidade do Parque São Jorge, conseguimos que as categorias saiam do Parque São Jorge já prontas, vestidas, e vão para o CT de ônibus treinar e depois retornem. Falta a parte estrutural onde vão alojamento, parte administrativa, restaurante, fisioterapia, ou seja, toda essa parte de alvenaria, estrutural, que ainda não deu início. Mas os campos eram a grande dificuldade da base do Corinthians. Há dois meses o Sub-15 e o Sub-17 treinavam em campo sintético, e isso mudou. Isso melhorou muito para nós, a qualidade do nosso trabalho. Esse deslocamento é natural, gastamos meia hora para ir, meia hora para voltar. Essa parte estrutural não faz falta no momento - refletiu.

PROMOÇÃO DE ATLETAS AO TIME PROFISSIONAL

Corinthians - Fabricio Oya
Oya é um dos candidatos a subir(Foto:Ale Cabral/Lancepress)

Há possibilidade de alguns jogadores vice-campeões brasileiros sub-20 serem integrados em breve ao elenco profissional. Nomes como Vinicius Del'Amore, Rodrigo Figueiredo, Léo Jabá, Fabrício Oya e Carlinhos despontam, mas as categorias inferiores ainda não receberam pedidos diretos da comissão técnica do profissional por novas promessas.

- É o que sempre falo, depende do profissional querer jogador da base. A gente forma o atleta, procura formar o atleta e, no momento que eles julgam que o atleta está maduro pra poder ingressar no profissional, isso é um julgamento do profissional - reflete o gerente da base alvinegra.