Maria de Loudes (à esquerda), Andrés e Edna Murad Hadlik

Maria de Lourdes (à esquerda), Andrés e Nadia no anúncio das vices (Foto: Reprodução)

Marcio Porto
17/12/2017
06:25
São Paulo (SP)

Retirada da chapa de Andrés Sanchez após ser anunciada como uma das vices do candidato da situação na eleição presidencial do Corinthians, a conselheira Maria de Lourdes Jacob Mattavo estuda convite para se juntar à uma das alas oposicionistas do clube. Ainda muito chateada com a situação, segundo ela fruto de uma decisão machista, a conselheira disse que não apoia mais a candidatura de Andrés, do grupo "Renovação e Transparência", no comando do clube desde 2007. 

- Não faz mais sentido eu continuar. Da situação já deu. Eles me expuseram e depois descartaram. Eu fui convidada (pela oposição), mas não sei ainda. Num primeiro momento disse que não queria, mas hoje estou pensando. Jamais vou desistir do Corinthians - afirmou Maria de Lourdes, em entrevista ao LANCE!.

Maria de Lourdes ficou abalada com a notícia de que não faria mais parte da chapa de Andrés. Ao lado de Edna Murad Hadlik, ela foi anunciada como uma das vices por André Luiz Oliveira, vice-presidente do Corinthians e assessor do candidato a presidente. Posou para foto ao lado do deputado federal. Mas diz que, depois da saída, não recebeu mais nenhum contato nem de Andrés nem de André.

- Nenhum dos dois falou comigo, nada. Isso só mostra o quanto eu não significava nada para eles - diz.

Logo após ser comunicada da decisão na última quinta-feira, a conselheira enviou um texto para um grupo de conselheiros no WhatsApp lamentando o modo como as coisas foram conduzidas e  acusando o processo de machista. Passou a receber manifestação de solidariedade de outras mulheres do clube.  A diretora de futebol feminino Cristiano Gambare entrou em contato por telefone, assim como própria Edna, que segue como vice. 

No clube, a ideia de machismo é compartilhada por outras mulheres. Uma das duas conselheiras vitalícias do Corinthians ao lado da ex-presidente Marlene Matheus, Miriam Athie acha que Maria de Lourdes foi usada. Ela encabeça as mulheres que declararam apoio a Antonio Roque Citadini, um dos candidatos da oposição. 

- A Maria de Lourdes foi usada. No sentido de comover a associada para dizer que o Corinthians teria uma vice mulher. E não haveria problema, já tivemos vices mulheres, como a Marlene Matheus. Temos mulheres. Mas acho que ela foi usada, porque o movimento do Citadini tem sido voltado para as mulheres, sócia e independente. E o grupo que está no poder nunca ligou para nós. O que se tem no clube hoje para mulheres? Absolutamente nada! - afirma.

Organizadora de um encontro que reuniu 160 mulheres que transitam no clube com Citadini, há duas semanas, a sócia Susy Miranda vai na mesma linha. 

- As mulheres estão revoltadíssimas. Algumas do grupo do Andrés me ligaram para dizer isso. Essa já é a quarta eleição que estou participando e sempre prometem coisas, com panfleto, dizendo que farão um salão de beleza para a gente no clube. Mas das prioridades, tudo isso está em último lugar para o Andrés., Ele se elege e esquece da gente. E chega uma hora que a gente quer se rebelar - declarou. 

Irmã de um dos fundadores da Gaviões da Fiel, maior organizada do Corinthians, a candidata ao Conselho pela chapinha Mais Corinthians Wanda La Selva diz que a decisão de tirar Maria de Lourdes da chapa feriu todas as mulheres.

- Nós todas os sentimos ofendidas. Foi uma ofensa muito grande da parte do candidato solicitar que ela participasse e depois descartar como objeto qualquer. Isso não se faz com uma mulher, com ninguém - afirma.

O ex-presidente Andrés Sanchez disse que houve uma pressão muito grande do seu grupo pela saída de Maria de Lourdes para justificar a decisão, mas garantiu que Edna seguirá como sua vice. 

- Apresentarei o mundo do futebol a ela - afirmou o candidato, ao LANCE!.