Gabriel Carneiro
17/07/2016
06:30
São Paulo (SP)

Um mês fora como suspensão pelo flagra no exame antidoping, lesão no tornozelo, falta de espaço... Titular do Corinthians no início do ano, Yago sofreu para voltar a receber oportunidades, mas espera que o Majestoso deste domingo, às 16h, na Arena de Itaquera, seja um ponto de virada definitivo. Para o zagueiro do Timão, o rival que vem pela frente não poderia ser melhor!

Yago foi um dos jogadores utilizados nos 6 a 1 contra o São Paulo na reta final do Brasileirão do ano passado, e em seu primeiro reencontro com o rival, já no Paulistão de 2016, fez um dos gols da vitória por 2 a 0. Carrasco do Tricolor, o camisa 3 do Timão só voltou ao time graças à lesão do titular Pedro Henrique, e terá um mês para convencer Cristóvão Borges de que pode ser o parceiro de Balbuena. Esta chance por acaso consagra uma sequência de acasos na carreira do zagueiro de 23 anos.

A própria chegada de Yago ao clube já foi pura eventualidade, em 2012. Destaque nas categorias de base da Portuguesa, clube em que foi até campeão estadual sub-20, Yago chegou ao Corinthians direto no time júnior, por indicação do técnico Edu Miranda. O treinador da Portuguesa foi entrevistado pela diretoria da base do Corinthians para assumir o time sub-20, e entre os assuntos discutidos chegou a citar Yago como uma peça que poderia ser integrada ao elenco. O Timão decidiu contratar Narciso para técnico, mas aproveitou a indicação de Edu e acertou com Yago, que já está em sua quarta temporada no Corinthians. E titular!

– Só falei para o Corinthians que o Yago estava com contrato para vencer na Portuguesa, e me pediram o contato dele. Não ganhei nada com isso, mas é uma satisfação ver um jogador que ajudei a formar no time profissional do Corinthians. Desde o sub-17 ele já era diferenciado. O Corinthians ganhou praticamente de graça um jogador acima da média – revela Edu Miranda, ex-técnico da Lusa, e hoje desempregado, ao LANCE!.

Motivado pela trajetória repleta de acasos e imprevistos e especialmente pelo bom desempenho recente contra o São Paulo, Yago terá a chance de convencer Cristóvão hoje, e assim ganhar uma sequência como titular. O Corinthians que agradece.

COM A PALAVRA, Edu Miranda
Técnico de Yago entre 2007 e 2012, ao L!

Edu Miranda
Treinador foi campeão paulista sub-20 de 2010 (Foto: Divulgação) 

"Desde o sub-17 que o Yago já chamava atenção, tanto que no primeiro ano de sub-20 já foi titular comigo. É um zagueiro muito técnico, boa saída de jogo, antecipação, passe... Lembro de um episódio marcante com ele. Em 2010 estávamos na fase final do Paulista sub-20 e aconteceu algo muito triste, que foi a morte do pai do Yago. Ele pensou em largar o futebol, mas eu disse a ele para pensar melhor, porque agora ele era o chefe de família. Quando passamos à final contra o Palmeiras, eu disse que ele não jogaria, era um baque muito grande. Mas ele quis jogar, e foi um dos grandes destaques da final em que fomos campeões. Naquela época o salário do Yago era uma ajuda de custo de R$ 400, nada mais, e às vezes nem recebia, por isso ele quis sair. Aí no Corinthians fez contrato de R$ 5 mil, teve paciência e tocou a vida. Ele é um grande sujeito."

MESMO VARIÁVEL, ZAGA DO TIMÃO VAI BEM

Cristovão Borges
Técnico varia duplas (Foto: Daniel Oliveira/Fotoarena/Lancepress!)

Melhor defesa do Campeonato Brasileiro com apenas dez gols sofridos em 14 jogos, o Timão não tem conseguido sequência de jogos para suas duplas de zaga. Até o momento, foram sete parcerias diferentes: Balbuena/Pedro Henrique (cinco vezes), Felipe/Vilson (três vezes), Felipe/Balbuena (duas vezes) e Felipe/Pedro Henrique, Felipe/Yago, Yago/Balbuena e Pedro Henrique/ Vilson (uma vez cada). Ainda que seja variável, a defesa do Timão faz bom papel.