Tite conversando com o elenco corintiano (Foto: Daniel Augusto Jr)

Tite conversando com o elenco corintiano (Foto: Daniel Augusto Jr)

LANCE!
03/05/2016
18:53
São Paulo (SP)

Frieza. Esta é a palavra de ordem do técnico Tite no Corinthians antes da decisão contra o Nacional (URU), nesta quarta-feira, valendo uma vaga nas quartas de final da Copa Libertadores.

O comandante alvinegro quer o time tranquilo não só para evitar cartões, mas também para trabalhar a bola até encontrar brechas na defesa uruguaia.

- Com a posse de bola tem que ser gelado, usar o princípio do basquete, de movimentar o adversário de um lado para o outro para abrir espaços. O adversário se compacta bem. A bola não pode queimar no pé. Eu digo: dá dois ou três toques até o adversário se abrir, dar uma melhor opção - comentou.

O treinador também minimizou uma possível catimba do Nacional, que usou do artifício para superar o Palmeiras, na primeira fase do torneio sul-americano. Para Tite, será um duelo de duas equipes "com camisa pesada", em que questões técnicas e táticas devem prevalecer.

Para vencer e garantir a classificação para as quartas de final, o comandante alvinegro conta com o apoio e a paciência da Fiel torcida.

- Não é sermão, até porque não tenho esse predicado. Mas faço um pedido ao torcedor corintiano: que apoie essa equipe. Há jogadores aqui há três meses que abriram mão de valores para satisfazer o sonho de jogar no Corinthians, como o Marlone. O Guilherme, por exemplo, falou que queria ser campeão paulista aqui. Se não tiver paciência e compreensão desses torcedores, isso vai interferir. De cascudo tem eu, Elias, Cássio... Não importa o cara que está jogando, é tudo Corinthians. Apoiem, deem carinho, o time precisa disso - pediu.