LANCE!
23/04/2016
23:03
São Paulo (SP)

Depois do São Paulo, o Osasco Audax do técnico Fernando Diniz fez nova vítima no Campeonato Paulista. Com empate em 2 a 2 no tempo normal dentro da Arena Corinthians e vitória por 4 a 1 nas cobranças de pênalti, o modesto clube eliminou o Corinthians de Tite e avançou às finais do torneio. Em entrevista coletiva concedida após a partida, o comandante alvinegro não escondeu a "dor da eliminação", como disse. Mesmo questionado a respeito de aspectos que o grupo pode assimilar em nome de uma volta por cima, Tite citou os fatores que levaram o Timão à derrota e elogiou o trabalho do adversário, primeiro finalista do Estadual em 2016.

- Eu estou muito triste pela derrota, não vou pegar paliativo de que foi melhor jogo do campeonato... Falo, sim, do grande jogo, efetividade, posse de bola, alternância de marcação, os dois jogaram, marcaram e botaram intensidade. Mas é da vida, do jogo, vou fazer o que? Não vou dormir hoje. Primeiro a dor da derrota, mas também a grandeza do reconhecimento, o Audax é um time corajoso. O espetáculo foi bonito, emocionante. Não estamos medindo grandeza de história de clube, e sim jogo de futebol de 90 minutos - afirmou o treinador alvinegro na sala de imprensa da Arena Corinthians.

O Corinthians foi o melhor time de toda a primeira fase do Campeonato Paulista, avançou às semifinais com uma goleada por 4 a 0 diante do Red Bull Brasil, mas não resistiu ao Osasco Audax e agora está fora do Estadual após 12 vitórias, três empates e apenas duas derrotas, além de 32 gols marcados e apenas dez sofridos. Na Arena Corinthians, o clube está invicto desde agosto do ano passado, mas encontrou neste sábado o empate em 2 a 2 no tempo normal que interrompeu a sequência de 12 vitórias dentro do estádio.

Entre as explicações dadas por Tite a respeito da eliminação do time de melhor campanha do Estadual está o regulamento do Campeonato Paulista, fator já apontado como preocupante - os melhores times da classificação geral têm vantagem apenas de jogar em casa, e não da vaga em caso de resultado igual no tempo normal. Foi assim que o Audax aplicou 4 a 1 nos pênaltis e saiu com a sonhada vaga.

- Hoje criamos, mas não conseguimos ter a precisão da finalização como o Audax. Duas equipes que procuram jogar futebol. Não é guerra, porrada, falta. Eu, enquanto profissional, me sinto orgulhoso por participar desse jogo, mas triste por ter perdido. Fernando Diniz é um grande técnico e tem possibilidade de passar aos seus atletas metodologia e coragem de vir para o jogo, não ficar com a bunda atrás. Grande jogo, parabéns ao Audax. Saio invicto de novo do campeonato em casa, com a melhor campanha...  Maturidade se dá ao longo do tempo, equipes se moldam e crescem com tempo. Queria que fosse um jogo de 180 minutos, mas agora precisamos conquistar essa maturidade e não individualizar - avisou o técnico, se recusando a fazer comentários individuais a respeito de atuações contestadas de alguns jogadores, como o meia Guilherme.

- Não sei se foi o adversário mais difícil que já enfrentei aqui, mas foi o mais corajoso. Precisamos premiar o bom futebol, time que procura jogar, que não faz falta tática. Se estamos falando em evolução do futebol brasileiro o Audax precisa ser mencionado como quem procura jogo. A gente precisava da palavra do presidente e ele trouxe a palavra no vestiário, que com toda a dor que estamos sentindo é durante um processo de reconstrução - citou.