Cássio defendeu pênaltis em treino desta terça-feira (Foto: Daniel Augusto Jr)

Cássio defendeu pênaltis em treino desta terça-feira (Foto: Daniel Augusto Jr)

Bruno Cassucci
26/04/2016
18:24
Enviado Especial a Montevidéu (URU)

O fantasma das cobranças de pênaltis parece perseguir o Corinthians até mesmo nos treinamentos. Na véspera do duelo contra o Nacional, do Uruguai, nesta quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, a equipe teve desempenho ruim nas batidas de tiros de 11 metros.

Em atividade realizada no Estádio Parque Nacional, em Montevidéu, ao final do treinamento, todos os jogadores titulares de linha do Timão ensaiaram cobranças. Dos dez que chutaram, apenas quatro acertaram.

O cinco primeiros chutes foram errados. Elias parou nas mãos de Cássio, Rodriguinho e Fágner isolaram, André também teve finalização defendida, e Uendel mandou para fora. Só depois melhorou, com acertos de Alan Mineiro, Bruno Henrique, Yago e Lucca. Por fim, Felipe também desperdiçou chance.

Depois do treinamento, Tite explicou que está variando a forma como os pênaltis são treinados. No ano, o Corinthians errou seis das nove cobranças que teve a seu favor, incluindo as da disputa contra o Osasco Audax, na semifinal do Paulistão no último sábado.

- Vou mudar um pouco a metodologia do treinamento de pênaltis, porque a repetição é muito grande e os goleiros acabam sabendo como bate e o atleta modifica sua rotina. Vou diminuir o número de pênaltis para quebrar rotina. Preciso fazer alguma coisa diferente - explicou o treinador, que antes pedia para que cada jogador realizasse três cobranças nos treinamentos.

André foi definido como batedor oficial de pênaltis da equipe. Ele ainda não realizou nenhuma batida durante o tempo regulamentar de jogos neste ano, mas converteu a sua cobrança no duelo do último sábado, em que o Timão acabou eliminado.