Gabriel Carneiro
06/08/2016
12:02
São Paulo (SP)

O Torino, da Itália, enfim formalizou uma proposta pela contratação do volante Bruno Henrique, mas o Corinthians não aceitou a primeira investida e as negociações continuam, sem previsão de término. Sem interesse em abrir mão do jogador, já que possui apenas 25% dos direitos econômicos e contrato até o fim do ano, o Timão rejeitou uma oferta menor do que a multa rescisória e frustrou o próprio Bruno Henrique, que disse à diretoria desejar a transferência para o futebol italiano. Agora, o Corinthians espera que o Torino pague os 4 milhões de euros (R$ 14,5 milhões) da multa, e só assim haverá negócio.

- Recebi a proposta e estamos conversando. A proposta que chegou por enquanto não é satisfatória ao Corinthians, nos moldes que veio a proposta não vamos aceitar, a não ser que o Torino mude bastante a forma de pagamento e os valores para a gente poder levar o negócio à frente. Do jeito que está, a chance de ir é nenhuma - relatou Roberto de Andrade, presidente do Timão, em breve contato com a imprensa neste sábado.

O Torino procurou os representantes de Bruno Henrique no primeiro momento, e acertou bases salariais e tempo de contrato com o jogador, que se mostrou animado pela perspectiva de atuar no futebol europeu. Segundo o próprio Roberto de Andrade, que não teve conhecimento do que foi oferecido diretamente ao jogador, "a proposta deve ser boa, porque ele se mostrou muito interessado". Feito o acerto com Bruno Henrique, o clube italiano abriu negociações com o Timão, mas ofereceu um valor pouco superior à metade da multa rescisória, condição negada. Além disso, há um entrave na forma de pagamento que atrapalha o negócio no momento.

A negociação deve seguir nos próximos dias, e o Torino já sinalizou que subirá a proposta - ainda não se sabe, porém, se esta nova investida será no valor da multa rescisória, e neste cenário o Corinthians não poderia fazer nada. Caso o clube italiano desista do negócio, o Timão deve propor novamente a renovação do contrato de Bruno Henrique, já que possuía um documento esperando apenas a assinatura do jogador pela validação por mais dois anos.

- O contrato estava pronto para ser renovado, mas como apareceu essa oportunidade para ele e ele demonstrou vontade de jogar no futebol italiano, estamos conversando. Caso isso não aconteça, a renovação deve acontecer. O atraso da renovação foi justamente por parte deles, discutimos algumas vezes os valores e tínhamos chegado a um acordo antes de aparecer essa proposta. Agora temos de definir, uma coisa ou outra - disse o mandatário do Timão, que vive a possibilidade de perder mais um titular nesta temporada.

- A ideia é sempre você segurar o time inteiro. Mas não podemos esquecer que quando há vontade do jogador deixar o clube, não é a vontade do clube que prevalece. Mas pelo Corinthians o Bruno não deixaria de trabalhar conosco nunca, é um grande jogador, importante para o time, não é pelo dinheiro que está indo embora, não - sentenciou Roberto de Andrade.