LANCE!
13/10/2016
00:54
Cuiabá (MT)

Fabio Carille não sabe se a vitória por 4 a 2 diante do Santa Cruz, nesta quarta-feira, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi sua última partida no comando do Corinthians. Definido como interino após a demissão de Cristóvão Borges há menos de um mês, o profissional que está no Timão desde 2009 disse que estava focado na preparação para o jogo e não tem informações sobre a iminência de acordo com Oswaldo de Oliveira, que pode ser anunciado já nesta quinta-feira, em decisão monocrática do presidente Roberto de Andrade.

- Não tenho informação nenhuma e quem pode responder se é meu último jogo ou não é a diretoria do Corinthians e seu presidente. Fiquei focado 100% no jogo e o Corinthians me conhece muito bem como profissional há muito tempo. A minha resposta é igual dos jogadores: não sabemos o que vai acontecer. Sou treinador até segunda ordem e quando ele (Oswaldo) for anunciado eu volto para a minha função. Não trouxemos essa conversa para a preleção, esse assunto não entrou no vestiário - disse Fabio Carille, que fez elogios a Oswaldo de Oliveira mesmo sem informações a respeito da contratação.

- Sempre ouvi coisas boas, principalmente do Fabio Mahseredjian, que trabalhou com ele. É um cara vencedor dentro do clube, que conquistou, fez bons trabalhos, é experiente. E eu sou profissional do Corinthians. O que for delegado para mim eu vou fazer, sempre vivi dia a dia aqui e assim continuará sendo - disse o auxiliar.


Sobre a partida que fez o Corinthians subir da nona à oitava posição do Campeonato Brasileiro, Fabio Carille notou problemas na defesa. Apesar de ter feito quatro gols, o Timão sofreu dois e teve chances de ser ainda mais vazado. Feliz com o fim da seca ofensiva e o jejum de seis jogos sem vitórias, Carille analisou a vitória na Arena Pantanal.

- Gostei muito do volume de jogo, porque nos outros jogos estávamos tendo boa atuação e os gols não saiam. Então ficamos satisfeitos, é importante para a sequência do campeonato que a gente volte a ganhar e tenha resultados. Mas na defesa tivemos muita dificuldade mesmo, principalmente no primeiro tempo. Depois melhoramos, segurando mais o Rodriguinho e posicionando melhor o Léo Príncipe. Mas sofremos, no segundo tempo um pouco melhor, e agora é trabalhar para melhorar - relatou Carille.

Carille chegou à terceira vitória em seis partidas como técnico interino, entre Cristóvão e Oswaldo. Agora, deve entregar o cargo satisfeito por ter montado o meio-campo que considera ideal para o Timão.

- A cobrança é mais do que se pode. Perder jogadores importantes dentro da competição é muito ruim, e perdemos três titulares no Brasileirão. São consequências, tem que formar time no meio da competição e isso requer tempo. Mas hoje encontramos um meio-campo solto, leve e com boa qualidade e estamos em evolução - ele diz.