Times colombianos já foram pedras no sapato do técnico Tite (Foto: Daniel Augusto Jr)

Times colombianos já foram pedras no sapato do técnico Tite (Foto: Daniel Augusto Jr)

Gabriel Carneiro
06/04/2016
11:40
Enviado especial a Bogotá (COL)

Para superar a derrota no Dérbi do último domingo e tentar garantir a classificação do Corinthians para as oitavas de final da Copa Libertadores na noite desta quarta-feira, o técnico Tite precisará enfrentar um fantasma que já “apareceu” de duas maneiras para ele. Em seu décimo jogo contra clubes colombianos na carreira, o treinador tentará reverter seu aproveitamento como visitante, que hoje soma apenas uma vitória, além de um empate e duas derrotas – estas, de certa maneira traumatizantes.

Em 2003, pelo Grêmio, Tite caiu da Libertadores com uma derrota para o Independiente Medellín, nas quartas de final. Já em 2011, foi diante do Tolima que o treinador sofreu o grande baque de sua trajetória, ainda na primeira fase do torneio, antes da fase de grupos. Desde então, Tite não perdeu mais no país. Pelo Corinthians, venceu o Millonarios em 2013 e empatou com o Once Caldas em 2015.

No retrospecto geral, em nove partidas contra clubes colombianos, foram quatro vitórias, três empates e duas derrotas – uma dessas vitórias justamente contra o Santa Fe, em Itaquera, no que Tite considera o maior jogo do time no ano.

– Não estou falando de espetáculo, mas de dificuldades para furar o bloqueio defensivo. Eles criaram dificuldades em bola parada e com criatividade – explicou o treinador.

Na última terça-feira, em entrevista na Colômbia, o treinador ainda comemorou a reunião da CBF que manteve Dunga no cargo e espantou os “boatos” de que ele poderia substituir o conterrâneo. Sem trauma de colombianos e sem papo de saída.

– Estou muito bem, muito feliz no Corinthians, trabalhando, cada um tem o seu rumo, segue seus trabalhos na CBF, no Corinthians, então não tenho o que falar – disse o treinador, que tem 189 vitórias em 364 partidas no Timão.